Volkswagen decreta o fim do Fox, lançado em 2003, o carro surgiu para substituir o Gol no coração dos brasileiros

Flavia Marinho
por
-
04-10-2021 11:25:55
em Indústria e Construção Civil
fox - volkswagen - Gol - Fiat - produção - T-Cross - renault Imagem de suposto último Volkswagen Fox / Imagem Google

Fim de uma era? Depois de 18 anos de atuação no mercado brasileiro, o hatch está perto de dar adeus e Imagem de suposto último Volkswagen Fox viraliza nas redes

Mais uma despedida. Projetado pela Volkswagen para substituir o Gol no coração dos brasileiros, o Fox está com os dias contados e vai dar adeus ao mercado nacional após 18 anos de vida. Informou o colunista do UOL Jorge Moraes. o compacto deixará a produção da fábrica de São José dos Pinhais (PR), depois de quase duas décadas, para liberar espaço ao crescimento do T-Cross.

Leia também

Lançado em 2003, o hatch surgiu como opção ao Volkswagen Gol, com carroceria mais alta, chegando a ser exportado para a Europa e, segundo Calmon, deixará de ser oferecido em nosso mercado no mês de dezembro. O jornalista afirma também que os “irmãos mais velhos” Gol, Voyage e Saveiro terão sobrevida até 2024 e seus substitutos já estão em desenvolvimento.

O Fox fez sucesso no Brasil logo de cara e desde então, resistiu à saída de linha na Europa e se manteve firme no mercado brasileiro. Sua pegada mais voltada para o público feminino me faz lembrar da campanha estrelada pela encantadora Ana Hickmann, com seu 1,86 m.

Fox da Volkswagen vai sair da linha de produção para dar mais espaço ao T-Cross

De acordo com as informações publicadas no portal, e não confirmadas oficialmente até o momento, a Volkswagen decretou o fim da produção do Fox no Brasil para atender a demanda pelo SUV compacto.

Na atual posição (26º lugar do ranking da Fenabrave até agosto), o Fox vende pouco e já não está mais na lista de prioridades da VW; leia-se Nivus, Taos e T-Cross. Um dos fatores que teriam pesado na decisão estaria ligado às vendas dos dois modelos.

De acordo com o site da Fenabrave (Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores) o Fox emplacou apenas 926 novas unidades entre 1° e 31 de agosto, ocupando a 35ª posição no ranking. Enquanto isso, o T-Cross vendeu 6.698 unidades no mesmo período, fechando como o 6º veículo mais emplacado no geral, e o 3º entre os SUVs.

Com a saída do Fox, consumidores fãs da Volkswagen ficarão órfãos de um carro versátil, único na categoria. Assim como o Up e a onda gerada pelos compradores mais jovens.

Nas concessionárias, em fim de estoque, é oferecido apenas em duas versões: Xtreme e Connect. Os carros são equipados com motor 1.6 MSI de 104 cv e câmbio manual de cinco marchas. Há algumas semanas, as lojas já não aceitam novos pedidos do hatch.

Após Fiat e Renault, Volkswagen a maior fabricante de veículos do mundo, interrompe produção em fábrica de SP e coloca hoje (04/10) 800 trabalhadores de férias coletiva

Em um esforço para adequar o nível de produção à demanda, a fábrica da Volkswagen em Taubaté, no interior de São Paulo, vai dar férias coletivas a 800 funcionários da área de produção a partir deste dia (04/10), de acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região (Sindimetau), o que equivale a um turno de produção dos modelos Gol e Voyage. A crise por falta de componentes é mundial e outras multinacionais como a Fiat e Renault, decidiram por bem tomar a mesma medida.

Esse será o sexto período de férias coletivas na unidade do Vale do Paraíba, que também teve 11 dias de shutdown e mais cinco dias de day off — ambos com utilização do banco de horas dos funcionários — por gargalos no abastecimento de peças. Entre os dias 3 e 12 de maio, a fábrica foi paralisada, mas por outro motivo: adaptar a produção para novos modelos feitos sobre estrutura modular MQB.

Segundo a entidade, atualmente, há 15 mil carros parados no pátio da fábrica esperando peças para serem concluídos. O número de funcionários em férias coletivas, de acordo com o sindicato, equivale a um turno de produção. A data prevista para retorno dos trabalhadores é dia 7 de outubro. “Já foram registrados (neste ano) 11 dias de ‘shutdown’ e mais cinco dias de ‘day off’ (ambos com utilização do banco de horas) por falta de peças”, acrescentou a entidade em comunicado enviado à imprensa.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.
fwefwefwefwefwe