Proposta por campos de petróleo Albacora e Albacora Leste da petrobras atinge US$ 4 bilhões

Flavia Marinho
por
-
04-10-2021 10:09:02
em Petróleo, Óleo e Gás
petróleo - petrobras - campos Plataforma de petróleo offshore / Imagem Google

Os consórcios que participam da fase vinculante são as petroleiras PetroRio/Cobra e EIG Global Energies Partners/Enauta/3R Petroleum.

A Petrobras divulgou em fato relevante, na última quinta-feira, em que confirma notícias divulgadas na imprensa, de que recebeu oferta bilionária vinculantes dos consórcios PetroRio/Cobra e EIG Global Energies Partners/Enauta/3R Petroleum para a aquisição dos campos de Albacora e Albacora Leste, na Bacia de Campos.

Leia também

As ofertas, segundo a companhia, podem superar US$ 4 bilhões para ambos os campos. A empresa disse ainda que está analisando as propostas seguindo os critérios de avaliação deste projeto e levando em consideração todas as componentes de valor e outras condições, incluindo pagamentos firmes, contingentes e outros pontos contratuais relevantes.

De acordo com a Petrobras, o início da fase de negociação será submetido à deliberação da diretoria executiva da estatal, após a conclusão da análise das ofertas,. “A companhia esclarece que a celebração da transação dependerá do resultado das negociações, bem como das aprovações corporativas necessárias”, diz o comunicado.

Caminhoneiros ameaçam greve e podem parar a qualquer momento contra o novo aumento do diesel e preços dos combustíveis praticados pela Petrobras

Após mais um aumento no preço do diesel, que sofreu ontem (29/09) alta média de R$ 0,25 por litro, os caminhoneiros vêm considerando uma nova greve. O objetivo da possível paralisação da categoria é de induzir o governo a baratear o combustível. O presidente do Sindtanque de Minas Gerais, sindicato que representa os transportadores de combustíveis declarou em entrevista a VEJA que poderiam ocorrer manifestações a qualquer momento. As lideranças, no entanto, consideram esse movimento ainda pontual.

Irani Gomes informou a VEJA que as entidades não querem divulgar o dia da paralisação para evitar “impedimento do governo”, mas que os caminhoneiros já estão “se movimentando para parar”. A mobilização ocorre por meio de um grupo de WhatsApp que reúne os líderes dos sindicatos, inclusive o Zé Trovão, que ficou famoso por articular as manifestações de Sete de Setembro e cuja prisão preventiva se mantém decretada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes. Trovão ainda não se manifestou no grupo, mas Gomes acredita que os apoiará em breve, por ser uma pauta de seu interesse.

Ailton Gomes, presidente da Associtanque do Rio de Janeiro, afirmou que “desta vez vai haver uma paralisação nacional promovida pelo transporte de combustíveis”. Ele confirmou que já foram realizadas assembleias entre os caminhoneiros com apoio dos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo e São Paulo em apoio às manifestações, que devem ocorrer nas próximas semanas.

Em uma entrevista ao UOL, o presidente do Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC), Plinio Dias, afirma que a cogitação de greve dos caminhoneiros será tratada na próxima reunião das lideranças das categorias. O encontro está previsto para acontecer no dia 16 de outubro, no Rio de Janeiro.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.
fwefwefwefwefwe