Operação de manutenção em refinaria da Petrobras pode resultar em cem óbitos por covid-19, aponta nota técnica da UFMG e INPA

Refinaria da Petrobras / Divulgação Refinaria da Petrobras / Divulgação

Processo de manutenção da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), gera muitas criticas devido ao alto risco de transmissão da Covid-19

Uma estimativa da chamada: ”Nota Técnica COVID-19: Avaliação de risco para Araucária, no estado do Paraná”, emitida por pesquisadores da UFMG e INPA, mostra uma grande preocupação com a Covid-19 na cidade de Araucária, município que faz parte da zona metropolitana de Curitiba. O aumento desses casos estaria diretamente relacionada com a parada de manutenção da refinaria da Petrobras Presidente Getúlio Vargas (Repar).

O procedimento de manutenção se deu início na última segunda-feira, dia 12. Com isso, a manutenção da refinaria deve aumentar em duas mil pessoas o fluxo no local na refinaria da Petrobras. Boa parte desses trabalhadores vem de outras regiões do país, gerando muitas preocupação para os moradores locais.

Em um trecho da nota técnica, a Petrobras é criticada por aumentar o fluxo de pessoas no pior momento da pandemia no país. Com isso, o município pode chegar a uma morte por dia até em junho, totalizando mais de cem mortes: ”A parada de manutenção realizada pela Petrobras tende a propiciar maior circulação viral, que resultará na média de cerca de uma morte por dia até o final de julho, sendo que para todo o mês de junho, pode-se esperar pelo menos 35 mortes”.

Como chegaram aos números

Os pesquisadores chegaram a esses números usando o método ”SEIR (Susceptíveis – Expostos – Infectados – Recuperados)”. Um estudo semelhante foi feito em Curitiba, que usou as previsões para tomar medidas contra a Covid-19 e evitar uma terceira onda, que seria três a quatro vezes maior do que a primeira e segunda.

O modelo SEIRS de reavaliação de Curitiba apontou que mais de 1500 vidas foram salvas pelo isolamento social empregado no município”, aponta o relatório. Um estudo semelhante foi feito em Manaus, onde os pesquisadores alertaram as autoridades do município meses antes do colapso total acontecer, porém, poucas atitudes foram tomadas.

Parada de Manutenção da Petrobras na Repar causa risco também aos municípios vizinhos

A parada de manutenção feita pela Petrobras na refinaria deve trazer um risco grande também para os municípios vizinhos. Curitiba, por exemplo, não tomou medidas drásticas contra o isolamento social e possui leitos de UTI lotados. Além disso, como o munícipio terá gente de todo o país, o que faz com que exista o risco de transmissão cruzada das mais diversas variantes, tais como: P.1 (Manaus); P.2 (Rio de Janeiro); B.1.1.28 (Distrito Federal); B.1.1.7 (Inglaterra); B.1.1.143; B.1.235 e B.1.1.94. Petroleiros da Repar entraram em greve sanitária na última segunda-feira, dia 12.

O estudo sugere que o procedimento na refinaria da Petrobras seja postergado até que que 70% da população do município esteja vacinada. Hoje, a chegada de pessoas de diversos locais do país é um risco enorme para a população.

Tags:
Fábio Lucas
Jornalista brasileiro, amo esportes, notícias e política. Já contribui em diversos outros portais relacionados a esportes, economia e informações regionais.
fwefwefwefwefwe