Não bastasse o preço da gasolina, diesel, etanol e gás de cozinha nas alturas, o bolso dos brasileiros tem que enfrentar a disparada no preço da conta de luz, causada pela maior crise hídrica dos últimos tempos

Flavia Marinho
por
-
28-07-2021 11:53:47
em Energia Renovável
conta de luz - gás de cozinha - aumento - preço - etanol - gasolina - diesel Conta de Luz mais cara / Imagem Google

Escassez de chuvas no Brasil em 2021 é a pior em 91 anos e Aneel aumenta em 52% o valor da bandeira vermelha 2 e disparada na conta de luz afeta ainda mais o bolso dos brasileiros

A chegada do inverno no Brasil traz, além de temperaturas mais baixas, o período de maior estiagem do País. Com menos chuvas, as usinas hidrelétricas são muito impactadas na estação mais fria do ano. De acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), a escassez de chuvas no Brasil em 2021 é a pior em 91 anos para a geração de energia elétrica. Em outras palavras, se não bastasse a dispara no preço da gasolina, etanol e diesel, o bolso dos brasileiros terá que lidar com o novo reajuste na conta de luz da Aneel, de 52%, no valor da bandeira vermelha 2, que é o nível mais caro da energia elétrica no País.

Leia também

Crise hídrica no Brasil leva Aneel a realizar um reajuste de 52% no valor da bandeira vermelha 2, que é o nível mais caro da energia elétrica no País

A crise hídrica no Brasil, levou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), afimar em junho, que haveria um aumento de mais de 20% na tarifa de energia em todo o Brasil, por passar a operar na bandeira vermelha.

A Aneel estima que 67% da energia gerada no Brasil durante 2021 é originária de usinas hidrelétricas — aquelas movidas por fontes hídricas, como rios. A seca causada pela escassez de chuvas leva ao acionamento das usinas termelétricas.

Mais raras e de operação mais custosa, as usinas termelétricas funcionam a partir da queima de combustíveis fósseis. O Ministério de Minas e Energia prevê o repasse de um custo de R$ 9 bilhões ao consumidor a partir de 2022, resultando em mais aumento na conta de energia.

O cenário atual levou a Aneel a realizar um reajuste de 52% no valor da bandeira vermelha 2, que é o nível mais caro da energia elétrica no País. A cobrança teve início em julho e deve valer até novembro de 2021. O valor pulou de R$ 6,24 para R$ 9,49 a cada 100 kWh consumidos.

Confira abaixo um vídeo e entenda todos aqueles nomes estranhos na sua conta de luz

Saiba como economizar energia elétrica

O uso racional de energia, é possível não apenas reduzir o valor da conta, mas também criar hábitos mais sustentáveis que podem ser mantidos depois do momento de crise hídrica. Confira abaixo bons hábitos para serem adotados que darão alívio no seu bolso:

  • Apague as luzes: se não estiver em um cômodo, lembre-se de manter as luzes sempre apagadas.
  • Atenção aos eletroeletrônicos: itens como TVs, rádios, videogames e computadores também gastam energia enquanto estão ligados nas tomadas. Prefira mantê-los desconectados das tomadas quando não estiverem em uso.
  • Escolha lâmpadas mais econômicas: atualmente, é muito mais fácil encontrar lâmpadas eletrônicas ou de LED, que são modelos mais econômicos e sustentáveis.
  • Atualize seu ar-condicionado: modelos mais modernos de ar-condicionado, com a tecnologia “inverter”, ajudam a reduzir o consumo de energia por detectar a necessidade correta de refrigeração ou aquecimento para o cômodo. Trata-se de uma importante medida para economizar e diminuir o valor da conta de luz. Isso porque, de acordo com especialistas, um aparelho no modelo inverter chega a ser 70% mais econômico que os modelos tradicionais.
  • Não coloque roupas atrás da geladeira: este hábito pode prejudicar o funcionamento do motor do eletrodoméstico, que não foi desenvolvido para secar peças de tecido. Utilize o bom e velho varal para secar suas roupas.
  • Tome banhos curtos: banho quente é uma delícia, mas é um inimigo da sua conta de luz. O chuveiro elétrico é um dos eletrodomésticos que mais gastam energia, então evite banhos muito longos.
  • Faça o melhor uso da sua máquina de lavar roupa: para evitar o desperdício de água e de energia, lembre-se de utilizar este eletrodoméstico em sua capacidade máxima. Se sua máquina contar com a função água aquecida, evite a utilização deste recurso.
  • Utilize aquecedores de maneira inteligente: em regiões do País onde o frio é mais intenso, o aquecedor pode ser um grande aliado do conforto — mas não se esqueça do efeito de seu uso frequente na conta de energia. Para evitar desperdícios, desligue o aquecedor depois que chegar à temperatura desejada para o ambiente.
  • Evite máquinas de lavar louça com função água quente: a água fria pode ser utilizada para funções como ensaboamento de pratos e copos. Reserve a água quente apenas para o enxágue.
  • Opte por produtos com selo Procel: o Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica classifica os produtos mais econômicos. Se for comprar um novo eletrodoméstico, procure pelo selo A do Procel.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.
fwefwefwefwefwe