WEG, uma das maiores fabricantes de turbinas e motores elétricos do mundo, desenvolve linha de revestimentos à base de nióbio, resistente contra a ação de agentes corrosivos em parceria com as Empresas Randon

Flavia Marinho
por
-
09-12-2021 13:49:24
em Indústria e Construção Civil
nióbio - WEG - grafeno - nanotecnologia - motores - turbinas - tecnologia revestimentos a base de nióbio WEG




Mais sustentável, mais resistente à corrosão e com melhor performance de brilho e cor, o revestimento à base de nióbio chega ao mercado isento de solventes, a base d’água e de nanopartículas.

WEG, uma das maiores fabricantes de turbinas e motores elétricos do mundo, em parceria com a Nione, unidade das Empresas Randon e da Fras-le que atua no desenvolvimento, produção e aplicação de nanotecnologia, apresentam ao mercado uma pré-mistura com nanopartículas de óxido de nióbio, que servirá como base para aplicação em revestimentos protetivos. 

Leia também

A novidade foi apresentada juntamente com a inauguração da unidade fabril da empresa, localizada na cidade de Içara, região sul de Santa Catarina, na ultima  sexta-feira (03/12).

A adição desse produto ao revestimento possibilita ganhos em resistência à corrosão, durabilidade de cor e brilho, além de permitir secagem ultrarrápida, com ganhos no processo de aplicação. 

Além disso, isenta de solventes, com secagem rápida, a base d’água e nanopartículas, a nova linha monocomponente combina resinas acrílicas especiais e tem como uma das principais nanopartículas o mineral abundante no Brasil, o Nióbio.

Tecnologia de revestimentos à base de nióbio será aplicada em discos de freio

As orientações e especificações técnicas guiaram a criação desta solução que será inicialmente aplicada em discos de freio, conferindo ainda mais qualidade aos itens oferecidos pela empresa, o que reforça a visão de inovação de produto da companhia. 

Para as Empresas Randon, a parceria com o Grupo WEG potencializa os ganhos obtidos por meio do trabalho de pesquisa e desenvolvimento científico, realizado de forma conjunta entre as companhias. “A produção de nanopartículas de nióbio em larga escala é uma inovação no mercado mundial, com potencial de abrir novas oportunidades para diferentes setores industriais e que nos motiva a seguir apostando nesse trabalho disruptivo, que combina ciência e métodos produtivos amigáveis ao meio ambiente, contribuindo para um processo sustentável”, ressalta o diretor da NIONE, César Ferreira.

Já a companhia do Grupo Weg atuou de forma conjunta no trabalho de pesquisa e desenvolvimento da aplicação de nanopartículas de nióbio em sua nova linha de revestimentos protetivos.

WEG investiu R$ 12,5 milhões em pesquisas de tecnologias nanoestruturadas

Nos últimos anos a WEG investiu R$ 12,5 milhões em pesquisas e na aquisição de equipamentos para a fabricação de tecnologias nanoestruturadas.

Segundo Reinaldo Richter, Diretor Superintendente da WEG Tintas, a combinação de nano materiais em novos polímeros tem permitido que revestimentos com desempenho muito superior ocupem o lugar das tintas convencionais. “A busca dos clientes por produtos que permitam mais produtividade tem impulsionado nossos esforços no desenvolvimento tecnológico. Os novos tempos exigem produtos mais sustentáveis, eficientes e duráveis, que auxiliem os diferentes setores industriais a atender as políticas de ESG”, explica o executivo.

Testes realizados em laboratório, com o revestimento à base de nióbio, confirmaram o incremento exponencial da resistência contra a ação de agentes corrosivos, evidenciando, em alguns casos, ganhos superiores a 400%. “O novo produto com nanopartículas de nióbio propicia ganhos de desempenho técnico, como maior resistência à corrosão, de cor e brilho, além da secagem ultrarrápida. Tais características reduzirão a demanda de energia, permitirão o uso de camadas mais finas com o aumento da vida útil do revestimento que, associadas à uma formulação à base d’água, contribuirão para um processo ainda mais sustentável”, explica o diretor da Nione, César Augusto Ferreira. 

Ainda, de acordo com Ferreira, o desenvolvimento de soluções com nanopartículas de nióbio não se limita apenas ao uso em revestimentos protetivos. “Seguimos no desenvolvimento de produtos nanoestruturados para as mais diversas aplicações, com destaque para metalurgia, eletroeletrônica e química”, elenca o diretor da Nione.

Nos próximos dias, o novo revestimento protetivo feito de nióbio da Weg Tintas com tecnologia nanoestruturada da Nione estará em comercialização. A nova linha de discos de freio da Fremax, com a aplicação desse revestimento, chega ao mercado ao longo de 2022. 

Brasil ganha a primeira e maior fábrica de produção de grafeno da América do Sul, capaz de produzir até 5000 Kg por ano, que junto com o nióbio vai revolucionar o destino da humanidade

A inauguração da primeira e maior fábrica de produção de grafeno em escala industrial da América do Sul, que aconteceu no dia 09 de julho, contou com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro, o ministro-chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, e o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes. A unidade terá capacidade de produzir até cinco mil quilos de alta qualidade por ano.

Sites Parceiros

Publicidade




Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.