Início Volkswagen tem atividades interrompidas por 20 dias, devido à escassez de semicondutores no ABC paulista

Volkswagen tem atividades interrompidas por 20 dias, devido à escassez de semicondutores no ABC paulista

7 de maio de 2022 às 12:07
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Volkswagen, semicondutores, abc paulista
Foto: Reprodução de Emre Kalyoncu / Fonte: Pexels

Para o sindicato dos trabalhadores metalúrgicos do ABC paulista, falta de semicondutores fará com que 2,5 mil operários da Volkswagen entrem de férias

A montadora Volkswagen deve parar por cerca de 20 dias as produções na fábrica da cidade de São Bernardo do Campo, localizada no ABC paulista, a partir da próxima segunda-feira, 09.
O que motivou a parada da empresa Volkswagen, segundo a CNN Brasil, foi a escassez global de semicondutores, que também já afetou o setor de informática. A parada da Volkswagen já tinha sido anunciada, devido à escassez dos semicondutores, e nesta segunda-feira, 02, a montadora suspendeu o segundo turno da indústria que monta o modelo esportivo T-Cross no Paraná.

Ao passo que no Paraná, alguns funcionários tiveram seus contratos de trabalho suspensos (chamado de layoff podendo durar até cinco meses) no ABC paulista, os trabalhadores dos dois turnos vão ter férias coletivas durante as próximas três semanas.
De acordo com o sindicato dos metalúrgicos do ABC paulista, cerca de 2,5 mil trabalhadores da Volkswagen irão entrar em regime de férias na unidade, onde são produzidos os modelos de carro Polo, Virtus, Nivus e Saveiro.

Artigos recomendados

Crise no setor de semicondutores

Com a pandemia, o setor dos semicondutores foi colocado em uma crise extensa de abastecimento. Nesse contexto, vimos o setor avançar grandemente por um lado e entrar em decadência por outro lado. Isso porque, ao passo que houve uma interrupção nas cadeias de produção dos semicondutores, por conta dos lockdowns impostos nos anos de 2020-2021, a quarentena fez o lado digital entrar em ascensão, visto que esse fato aumentou grandemente a demanda dos meios tecnológicos.
É nesse viés que, se no ano de 2022 não houver nenhum tipo de quarentena ou lockdown, a previsão para a normalização do mercado dos semicondutores é somente em meados desse ano de 2022, embora existam especialistas que prevejam essa normalização apenas no ano de 2023. Para auxiliar o setor, a Intel já investiu mais de 500 milhões de reais.

Volkswagen forma acordo com sindicato dos trabalhadores

Atualmente, a fábrica da Volkswagen na cidade de Anchieta produz cerca de 800 veículos Volkswagen por dia. No mês de março de 2022, a Volkswagen já havia suspendido as atividades na fábrica localizada no ABC paulista devido ao fato da escassez dos semicondutores.
Segundo o coordenador-geral da representação do sindicato na Volkswagen do ABC paulista, José Roberto Nogueira da Silva, a Volkswagen tem um acordo firmado entre o sindicato e a direção da fábrica Volkswagen que garante perspectiva em situações de crise.

De acordo com José Roberto, eles estão usando todas as ferramentas flexíveis discutidas no acordo firmado entre o sindicato e a Volkswagen. Esse acordo abrange momentos favoráreis e desfavoráveis para atravessar crises, visto que ele dá previsibilidade tanto para a fábrica Volkswagen quanto para os trabalhadores e, também, garante certa estabilidade para enfrentar crises como esta.
Ele reforça ainda que a situação da escassez dos semicondutores é semelhante ao que está acontecendo com outras fábricas do setor e garante que há demanda de produção, porém com a escassez dos semicondutores o atendimento fica inviável. Ele conclui dizendo que todos estão na expectativa da retomada da produção dos semicondutores o mais breve possível.

Volkswagen do ABC paulista não é a única afetada pela crise

A fábrica Mercedes-Benz, nos meses de março e abril, também colocou trabalhadores da fábrica do ABC paulista, em São Bernardo do Campo, em férias coletivas devido à escassez de semicondutores. Os funcionários que receberam as férias de urgência, ficaram ausentes da fábrica entre os dias 14 e 25 de março e de 18 de abril a 3 de maio. O sindicato informou que, em março, 1.200 trabalhadores foram afetados pela medida e, em abril, 5.000.

Relacionados
Mais recentes