Licitação do FPSO de Itapu é cancelada; Petrobras fecha negócio com a Shell e Petrogal para a compra do FPSO P-71 por 353 milhões de dólares

Flavia Marinho
por
-
28-10-2020 07:44:35
em Petróleo, Óleo e Gás
Petrobras - P-71 - Plataforma Petrobras diz que, por conta da nova alocação do FPSO P-71, a licitação de afretamento da plataforma que atenderia ao projeto de Itapu será cancelada

Petrobras diz que, por conta da nova alocação do FPSO P-71, a licitação de afretamento da plataforma que atenderia ao projeto de Itapu será cancelada

A Petrobras informou em fato relevante, ontem (27/10) que acertou, após negociação com seus parceiros no Consórcio BM-S-11, Shell Brasil Petróleo e Petrogal, a compra da plataforma P-71, o que permitirá a antecipação em cerca de um ano do primeiro óleo do campo de Itapu. Também foi acordada a elaboração de um novo Plano de Desenvolvimento para o campo de Tupi, onde o FPSO seria originalmente utilizado.

Leia também

O desembolso da Petrobras estimado na transação será de US$ 353 milhões, correspondente à parcela dos sócios na P-71.

No comunicado a Petrobras informa que a plataforma P-71, está em fase final de construção no estaleiro Jurong, no Espírito Santo, tem capacidade de produção de 150 mbpd e será alocada no campo de Itapu.

A companhia explicou que, após o leilão do excedente da cessão onerosa, ocorrido em novembro de 2019, os direitos de produção do campo de Itaipu passaram a ser detidos integralmente pela Petrobras e que a alocação do FPSO P-71, no campo permitirá a antecipação do primeiro óleo em cerca de um ano.

A plataforma estava originalmente programada para o campo de Tupi, que terá um novo plano de desenvolvimento acertado com os sócios no empreendimento, a Shell (25% de participação) e a Petrogal (10%).

“Com o compromisso de venda, Petrobras, Shell, e Petrogal concordaram em elaborar um novo plano de desenvolvimento para Tupi, que será entregue a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) em 2021”, disse a petroleira

Segundo a estatal, por conta da nova alocação da P-71, a licitação de afretamento da plataforma que atenderia ao projeto de Itapu será cancelada.

A Petrobras, diz que, tal iniciativa busca implantar projetos complementares de desenvolvimento da produção resilientes a baixos preços de petróleo, permitindo aumentar ainda mais o fator de recuperação do campo, que é atualmente o maior produtor mundial em águas profundas e cuja produção acumulada já ultrapassou 2 bilhões de boe.

“A aquisição da P-71 e as ações para elaboração de um novo Plano de Desenvolvimento para Tupi estão aderentes à estratégia da Petrobras de concentrar suas atividades em ativos de classe mundial em águas profundas e ultra profundas”, concluiu a Petrobras.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.