Início Petrobras contrata duas plataformas semi-submersíveis para manutenção e suporte no pré-sal

Petrobras contrata duas plataformas semi-submersíveis para manutenção e suporte no pré-sal

25 de setembro de 2020 às 09:09
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Petrobras contrata duas plataformas semi-submersíveis para manutenção e suporte no pré-sal
Vista aérea da plataforma POSH Xanadu/Imagem: Divulgação

A Petrobras concedeu à POSH de Singapura dois afretamentos de longo prazo para os navios semi-submersíveis de acomodação POSH Arcadia e POSH Xanadu para operações no pré-sal

As plataformas de acomodação offshore serão utilizadas para manutenção e suporte de acomodação para plataformas da Petrobras e navios flutuantes de armazenamento e descarregamento de produção (“FPSO”) em águas brasileiras do pré-sal por aproximadamente 3 anos.

Veja também outras notícias

A Petrobras terá a opção de prorrogar os contratos por mais 1,5 ano para ambas as embarcações que irão atuar no pré-sal.

Este é o terceiro contrato da POSH Xanadu e o primeiro da POSH Arcadia com a Petrobras. As duas plataformas são projetadas para águas profundas e ambientes operacionais agressivos, como o pré-sal brasileiro. Elas oferecem acomodação para 750 pessoas, cada.

Trabalhe no Setor Eólico do Brasil

Lee Keng Lin, CEO da POSH, disse: “Nossa repetição de vitórias com a Petrobras é especialmente importante em meio a tempos tão incertos. Isso diferencia e solidifica ainda mais nossa posição dentro do espaço de acomodação offshore, que continua sendo uma parte importante do nosso negócio”.

“Esses regulamentos proporcionarão estabilidade ao nosso negócio nos próximos anos, à medida que continuamos a acelerar a transformação da POSH para se tornar uma empresa pronta para o futuro, provedor de soluções sustentáveis ​​para o setor de energia global”, completa Lin.

Trabalhe no Setor Eólico do Brasil

Petrobras perfura poço e identifica hidrocarbonetos no pré-sal da Bacia de Campos

O poço 1-BRSA-1376D-RJS (Naru) está localizado a aproximadamente 308 km da cidade do Rio de Janeiro, em lâmina d’água de 2.892 metros. A Petrobras disse na quarta-feira (23) que o poço verificou a presença de hidrocarbonetos em reservatórios carbonários da região do pré-sal.

O Bloco CM-657 foi adquirido em março de 2018, na 15ª rodada de licitações da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), no regime de Concessão. O ativo da petrobras está localizado no setor sul da Bacia de Campos.

Relacionados
Mais recentes