Início Jovem brasileiro desenvolve aparelho para economizar combustíveis nos veículos. Dispositivo otimiza o uso de gasolina e e diesel, melhorando a combustão, e reduz emissão de gases do efeito estufa

Jovem brasileiro desenvolve aparelho para economizar combustíveis nos veículos. Dispositivo otimiza o uso de gasolina e e diesel, melhorando a combustão, e reduz emissão de gases do efeito estufa

7 de julho de 2022 às 17:33
Compartilhe
Siga-nos no Google News
gases do efeito estufa combustíveis gasolina diesel aparelho veículos economia
Aparelho otimiza os quilômetros rodados pelos veículos e reduz gases do efeito estufa | Foto: Canva Pro

Estudante da Universidade Federal do Pampa (Unipampa) cria dispositivo que vai te fazer economizar combustíveis como gasolina e diesel nos veículos

O aumento constante no preço dos combustíveis após o início da Guerra entre Ucrânia e Rússia tem preocupado muita gente. Pensando em uma forma de aliviar o peso do consumidor, um estudante da Universidade Federal do Pampa (Unipampa) criou um dispositivo capaz de otimizar os veículo e gerar economia de combustíveis como gasolina e diesel. O aparelho ajuda o carro a fazer mais quilômetros por litro e ainda reduz emissão de gases do efeito estufa devido à potencialização da combustão que move o veículo.

Para essa invenção, o estudante e professor usaram células eletrolíticas em veículos para melhorar a eficiência da combustão interna, promovendo aumento na eficiência do motor. Alejandro Reyes, estudante de Especialização em Gestão de Processos Industriais Químicos na Unipampa é o nome do pesquisador. Saiba mais sobre esse dispositivo brilhante!

Artigos recomendados

Confira como está a situação do petróleo nesse mês de julho de 2022 no vídeo abaixo

Preço do petróleo sobe 4% nessa quinta-feira (7) e pode resultar em aumento de combustíveis | Reprodução – YouTube: CNN Brasil

Dispositivo conta com uma mistura de oxigênio e hidrogênio para reduzir o consumo de combustível pelos veículos

O estudante Alejandro Reyes, em parceria com seu orientador de pesquisa, César Mantovani, e professor Sérgio Meth, desenvolveu um sistema gerador a partir de hidrogênio e oxigênio, capaz de reduzir a emissão de gases do efeito estufa na atmosfera. Esse ciclo oxi-hidrogênio (HHO) só foi possível graças ao uso de células eletrolíticas, uma novidade no mercado.

Um dos primeiros testes realizados foi com um Chevrolet Classic, modelo 1.0 flex, fabricado em 2009 e trouxeram resultados muito animadores. O sistema implantado fez o carro rodar mais quilômetros por litro de gasolina e reduziu emissão de gases do efeito estufa.

O dispositivo conta com uma placa geradora de gás HHO conectada diretamente com um reservatório de eletrólitos que se alimentam mutuamente. Depois, a energia produzida é conduzida por um filtro secante, pelo corta-fogo e chega ao motor, conforme demonstrado na figura abaixo.

veículos combustíveis gasolina diesel dispositivo gases do efeito estufa
Dispositivo criado consegue otimizar os quilômetros rodados economizando combustíveis como gasolina e diesel | Foto: ACS

Com esse mecanismo, os pesquisadores conseguiram constatar 73% de eficiência na produção de oxi-hidrogênio e redução de até 50% no consumo de combustível. Além disso, houve dissolução do monóxido de carbono e dióxido de carbono, causando menor emissão de gases do efeito estufa.

Dispositivo foi criado com materiais de baixo custo para fazer as células eletrolíticas funcionarem e economizar combustíveis

Esse mecanismo de economia de energia para veículos já fora criado anteriormente. Contudo, a grande sacada aqui foi o uso de materiais de baixo custo para criar um aparelho de fácil reprodução e produção em larga escala posteriormente. As células eletrolíticas conseguem converter energia elétrica em química por meio da eletrólise.

Todavia, para aproveitar a energia oriunda das células eletrolíticas os pesquisadores usaram materiais reaproveitados como aço inoxidável, placas de acrílico branco leitoso e uma borracha específica de alta densidade (HDPE). Além disso, eles agregaram o uso do hidróxido de sódio (NaOH) no processo, por facilitar a geração de corrente de energia para oxi-hidrogênio. Com isso a construção das células eletrolíticas se tornou mais barata.

A pesquisa é muito promissora e os cientistas estão otimistas para que esse dispositivo possam chegar ao mercado com um baixo custo, possam ser adquirido pelas pessoas e compensar o investimento a longo prazo, tendo em vista a alta dos combustíveis. É um grande passo do Brasil em direção à busca por maior sustentabilidade além de viabilidade da mobilidade pública com veículos próprios. A equipe continuará seus testes para então solicitar o pedido de patente (registro inédito de algo criado no mundo).

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
YouTube YouTube
Instagram Instagram
Telegram Telegram
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes