Início Cientistas de Campinas criam aparelho 3D para remover água do diesel e do biodiesel. Estudo promete devolver a pureza exigida dos combustíveis com uso de um hidrogel inédito e evitar contaminações em refinarias, distribuidoras e postos de petróleo

Cientistas de Campinas criam aparelho 3D para remover água do diesel e do biodiesel. Estudo promete devolver a pureza exigida dos combustíveis com uso de um hidrogel inédito e evitar contaminações em refinarias, distribuidoras e postos de petróleo

1 de julho de 2022 às 01:22
Compartilhe
Siga-nos no Google News
biodiesel água diesel combustíveis postos contaminações refinarias petróleo distribuidoras
Criação vai revolucionar a qualidade dos combustíveis ao consumidor ! Foto: Unicamp

Novo aparelho criado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) vai resolver o problema de contaminações dos combustíveis, em especial do diesel e do biodiesel

Um dos grandes problemas dos combustíveis, além do preço alto, são a contaminação por água ou outros agentes, especialmente do diesel e do biodiesel. Pensando nisso, cientistas da Faculdade de Engenharia Química (FEQ) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) desenvolveram um dispositivo que elimina a água e deixa o diesel quase totalmente puro novamente, a partir de um hidrogel. Essa invenção pode revolucionar a qualidade dos combustíveis em postos, refinarias e distribuidoras de petróleo.

A presença de água nos combustíveis estimula o crescimento de microrganismos que deixam o líquido turvo e podem ajudar na corrosão, prejudicando a vida útil dos motores alimentados por eles. Muitas vezes, a contaminação do biodiesel ou do diesel por água pode ser resultado da própria queima do processo de refino do petróleo, ou durante o uso do equipamento. Saiba mais sobre a invenção dos cientistas.

Artigos recomendados

Saiba quais são os problemas que a contaminação do diesel pode trazer no vídeo abaixo

A presença de água no diesel pode trazer problemas para o motor e reduzir sua vida útil | Reprodução — YouTube: NICOSA Motores

Aparelho é feito por impressora 3D e usa um hidrogel em sua composição

O aparelho criado pelos pesquisadores da Unicamp é superabsorvente e impresso a partir de impressora 3D com um hidrogel inovador incorporado. Dessa forma, o equipamento é colocado nos tanques dos veículos e impede que a água se misture ou decante. Além disso, o aparelho pode ser instalado em grandes tanques de transporte e nos reservatórios de refinarias, postos e distribuidoras de petróleo.

Isso tudo foi possível graças ao hidrogel inovador que tem alta afinidade de ligação com a água e é similar ao usado nas fraldas e nos absorventes. Todavia, na versão melhorada, o polímero sintético à base de acrilato de acrilamida teve sua capacidade aprimorada.

O hidrogel e suas características foram o que possibilitaram resultados eficazes na remoção da água, uma vez que conseguem se ligar ao composto e não contaminam os combustíveis, tendo pouco gasto de energia. Além disso, o aparelho em 3D pode ser reutilizado, bastando apenas a regeneração do hidrogel a cada novo ciclo.

Criação nacional resultou em depósito de patente e registro histórico de aparelho capaz de remover água do diesel

O desenvolvimento desse equipamento inédito vem de uma pesquisa de 10 anos com muitos testes para remover água do diesel e do biodiesel. Nos ensaios iniciais, o hidrogel já conseguiu remover água solubilizada (dissolvida), emulsionada (misturada) e livre (separada). Dessas misturas, a água solubilizada é a de mais difícil remoção. No entanto, a equipe conseguiu atingir os níveis de qualidade exigidos no Brasil pelas agências reguladoras.

Esse novo dispositivo tem muitas características positivas e uma das principais é que os polímeros do hidrogel conseguem manter a estabilidade sem entupir os espaços em que estão. Isso é um grande desafio na Engenharia Química, uma vez que eles possuem capacidade de dilatação e limite de resistência mecânica. Dessa forma, a retirada da água do diesel ou dos combustíveis se tornou extremamente eficaz.

Com os resultados promissores, a equipe de pesquisadores fez a solicitação de patente, que seria o registro de uma invenção inédita no mundo. O registro é feito ao INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial). Para saber mais sobre a criação inédita, clique aqui.

Os pesquisadores estão otimistas quanto ao uso e às aplicações dessa criação na sociedade, pois ela irá contribuir para evitar fraudes, melhorar a qualidade dos combustíveis vendidos em postos, refinarias e distribuidoras e prolongar a vida útil dos motores. Agora, os pesquisadores buscam agências que desejem fazer parcerias para viabilizar a produção em larga escala, a fim de aplicá-la no setor industrial.

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
YouTube YouTube
Instagram Instagram
Telegram Telegram
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes