Governo pode arrecadar R$ 1,57 trilhão com a venda de debentures da Vale

O decreto publicado no Diário Oficial da União desta terça-feira, 4 de junho incluiu mais de 141,7 milhões de debêntures da empresa Vale no Programa Nacional de Desestatização

O governo vai vender título de crédito privado da Vale, no Programa Nacional de Desestatização, os debêntures estão avaliados em R$ 2,5 bilhões. O decreto foi publicado nesta terça, 04, no Diário Oficial da União. A sugestão de venda dos papéis foi aprovada pelo conselho do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI), no mês passado, e precisava ser confirmada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro.

Em maio deste ano, foram decididos também pelo PPI a inclusão de 59 novos projetos na lista de empreendimentos a serem concedidos à iniciativa privada nos próximos anos.
Sendo concedido a autorização de concessão de rodovias, ferrovias, portos, hidrovias, aeroportos, linhas de transmissão, reservas de petróleo e gás.
A inclusão da participação acionária minoritária detida pela União no capital social do IRB-Brasil Resseguros também foi submetida a aprovação do nosso presidente, Jair Bolsonaro.

A carteira de ações da União no IRB, com base na cotação de fechamento de 29 de abril, tem um valor de mercado de aproximado de R$ 3,5 bilhões.

O atual governo acredita que, nos próximos 10 anos, sejam arrecadados até R$ 1,57 trilhão.

O decreto publicado hoje designa o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) como responsável pela execução e pelo acompanhamento da venda das debêntures da Vale.

As debêntures são títulos de crédito privado, usadas pelas empresas para financiar seus projetos. As informações são da Agência Brasil.

Programa de desinvestimentos Petrobras

Os campos terrestres da Petrobras na Bahia estão com os dias contados. 22 campos terrestres acabam de entrar na lista de ativos do programa de desinvestimentos da companhia.
A intenção da Petrobras é se desfazer do total de suas participações nos campos do Polo Recôncavo e Polo Rio Ventura.

O anúncio foi feito na tarde desta segunda-feira, 03 de junho, e o desinvestimento envolve também instalações compartilhadas de escoamento e tratamento de produção dos polos.

Alinhado com a linha de pensamento do novo presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, que declarou que a Petrobras vai priorizar o seu negócio principal, que é a Exploração e Produção (E&P).

Odebrecht fracassa na tentativa de vender a Braskem e não consegue fazer caixa!

Flavia Marinho

Sobre Flavia Marinho

Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e experiente na indústria de construção naval. Se você têm uma sugestão de pauta, gostaria de postar vagas de empregos ou anunciar conosco, mandem um e-mail para [email protected] OBS: Não contratamos, então não envie currículos! Informações sobre empregabilidade apenas no site.