Petrobras põe à venda 22 campos de Petróleo na Bahia

Petrobras põe á venda campos na Bahia

Venda dos ativos na Bahia faz parte do programa de desinvestimentos, sendo a maioria, campos em que a Petrobras detém 100% de participação

Os campos terrestres da Petrobras na Bahia estão com os dias contados. 22 campos terrestres acabam de entrar na lista de ativos do programa de desinvestimentos da companhia.
A intenção da Petrobras é se desfazer do total de suas participações nos campos do Polo Recôncavo e Polo Rio Ventura.

O anúncio foi feito na tarde de ontem (03/06) e o desinvestimento envolve também instalações compartilhadas de escoamento e tratamento de produção dos polos.
Alinhado com a linha de pensamento do novo presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, que declarou que a Petrobras vai priorizar o seu negócio principal, que é a Exploração e Produção (E&P).

Os campos da Bahia

Os campos baianos que a Petrobras pretende se desfazer são os do Polo Recôncavo que compreendem 14 concessões terrestres com produção total média em 2018 de cerca de 2,8 mil bpd de óleo e 588 mil m³/dia de gás.
O outro polo na Bahia é o Rio Ventura que soma 8 concessões terrestres com produção de 1,5 mil bpd em óleo e 43 mil m³/dia de gás no ano passado.

Com a exceção de duas concessões do Polo Recôncavo, Cambacica e Guananbi, nas quais sua fatia é de 75% e 85%, todas as outras concessões pertencem 100% á Petrobras.

No comunicado oficial da Petrobras foi clarificado a intenção da empresa com os desinvestimentos, “Essas operações estão alinhadas à otimização do portfólio e à melhoria de alocação do capital da companhia, visando a geração de valor para os nossos acionistas”.

Veja também ! Acordo de leniência assinado pela Braskem contempla, além da devolução da quantia bilionária, a possibilidade da empresa voltar a receber empréstimos e a participar de licitações do governo federal.

Renato Oliveira

About Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki)