Governo não quer punir quem poupa energia e dará R$ 0,50 de desconto por kWh para quem reduzir gasto de energia entre 10% e 20%

Flavia Marinho
por
-
02-09-2021 17:33:59
em Energia Renovável
energia - conta de luz - apagão - governo - desconto - punição conta de energia / imagem Google

Podem participar do programa todos os consumidores do grupo A e B. Quem tem sistema de geração de energia distribuída, como painéis solares, não receberá o benefício.

Governo não quer punir quem poupa energia e dará desconto quem conseguir reduzir entre 10% e 20% o consumo de energia elétrica até dia 31 de dezembro vai ganhar um crédito na conta de energia de janeiro do ano que vem. A medida faz parte do Programa de Incentivo à Redução Voluntária do Consumo de Energia Elétrica lançado pelo Governo Federal.

Leia também

A seca enfrentada no Brasil colocou o consumidores e governo em estado de alerta em relação ao fornecimento de energia elétrica. Além do medo de apagão, os brasileiros estão sentindo no bolso o impacto da bandeira vermelha.

Com baixa nos níveis dos reservatórios, é necessário captar energia de outros tipos de usina, como as termelétricas, que é mais cara. Por isso, quando as termelétricas são acionadas, o custo da geração de energia aumenta e a bandeira tarifária muda.

“Conheça os outros sites do CPG, clique nas áreas abaixo e receba de primeira mão:

vagas de emprego e assuntos nas áreas da Mineração; Construção Civil e InfraestruturaEnergia RenovávelConstrução Naval, Portos e Estaleiros

Programa do Governo de energia vai funcionar de setembro a dezembro

Programa vai funcionar de setembro a dezembro, mas pode ser prorrogado. Iniciativa será bancada pelos próprios consumidores, através de uma taxa que é cobrada na conta de luz.

O desconto será de R$ 0,50 por cada quilowatt-hora (kWh) do volume de energia economizado dentro da meta de 10% a 20%. Quem economizar menos que 10% não receberá bônus, e quem economizar mais que 20% não receberá prêmio adicional.

A comparação será feita com base no somatório do consumo ao longo dos quatro meses – ou seja, o acumulado entre setembro e dezembro de 2021, na comparação com a soma das mesmas quatro faturas de 2020.

Uma vez feita essa comparação, se houver uma redução no consumo de 10% ou mais, o governo diz que creditará o desconto na conta subsequente, em janeiro de 2022.

A ideia do Governo é conseguir com o programa uma economia média de 15% no consumo. O que representaria, segundo simulações feitas pelo Ministério de Minas e Energia (MME), uma redução de 1,4% na demanda total de energia do SIN. A medida é mais uma tentativa do Governo de reduzir a demanda por energia elétrica neste momento de crise hídrica e assim evitar o racionamento de energia.

Quem pode participar?

Todos os consumidores do grupo A e B, no mercado regulado, seja residencial, industrial, comércio, serviços ou no ambiente rural. Porém, os consumidores do grupo A (alta tensão) do poder público, iluminação pública e consumo próprio estão fora da medida.

Ou seja, quem tem sistema de geração distribuída, como painéis solares, não receberá o benefício.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.
fwefwefwefwefwe