Governo Federal diz que é ‘inadmissível’ o aumento de 39% no gás natural da Petrobras e vai lutar para mudar o quadro

Governo federal -Jair Bolsonaro o -Gás natural - Petrobras Uniforme da Petrobras – Fonte: Google Reprodução/Foto: Julian

Jair Bolsonaro reclamou dos preços altos de gás natural da Petrobras e afirmou que o Governo Federal irá lutar para mudar isso

Roberto Castello branco ouviu mais uma vez de Jair Bolsonaro sobre os preços do gás natural da Petrobras. O governo Federal afirmou que tomará as medidas cabíveis a fim de mudar a atual situação.

Leia também

“É inadmissível anunciar, o velho presidente ainda, um reajuste de 39% no gás. Inadmissível. Que contratos são esses? Que acordos foram esses? Foram feitos pensando no Brasil?”, questionou Jair Bolsonaro. “Não vou interferir. A imprensa vai dizer o contrário. Mas podemos mudar essa política de preços lá [na Petrobrás]”, finalizou.

Fala de Bolsonaro sobre o ajuste de gás natural/ Fonte: O Poder 360.

Ex-presidente da Petrobras aumenta em 39% gás natural e Governo Federal retruca

O ex presidente (já demitido) da Petrobras autorizou o novo aumento no gás natural e  o atual presidente da republica classificou tal ação como inadmissível e relata que está trabalhando para aplicar mudanças na Estatal.

“O que nós queremos é transparência. Vocês têm que saber quanto o governo federal arrecada de imposto em cada combustível e quanto os governadores arrecadam nos mesmos combustíveis”, afirmou o presidente. O projeto encaminhado deve entrar em pauta nos próximos 15 dias.

“Não pode toda vez que diminui o preço do combustível, na bomba, no final, ele [o preço] não diminuir. Isso não pode acontecer. Tenho certeza que vocês [se dirigindo aos deputados presentes no evento] votarão essa proposta. Que se chegue a um acordo. Que não seja único para os combustíveis em todo o Brasil, mas que seja um valor fixado em cada estado e cada governador se responsabilize, junto com o presidente, no valor cobrado de imposto de cada item”, concluiu Jair Bolsonaro.

Aumento do gás natural da Petrobras afeta ate mesmo os EUA

A estatal anunciou nesta segunda-feira que os preços de venda do gás natural aos comerciantes vão aumentar 39% em reais por m3 a partir de 1º de maio em relação ao trimestre anterior.

Em dólares americanos por milhão de Btu ($/MMBtu), o aumento será de 32%. Ressalte-se que, em meados de fevereiro, Bolsonaro demitiu Roberto Castello Branco, CEO da Petrobras, por considerar excessivos os reajustes de preços dos combustíveis.

No posto se manifestou o general Joaquim Silva e Luna, que foi dispensado do comando da Itaipu Binacional nesta quarta-feira. Outrossim, ate o presente momento ainda não foi aprovado pelos acionistas estaduais para o conselho de administração para ser eleito presidente da empresa.

Esclarecimento da Petrobras

A Petrobras esclarece que o preço final do gás natural ao consumidor é determinado não só pelo preço de venda da empresa, mas também pelas margens da distribuidora (e, no caso do gás natural veicular, pelos postos de revenda) e por impostos federais e estaduais, um dos motivos da critica do atual presidente da republica Jair Bolsonaro.

Além disso, o processo de aprovação das tarifas é realizado pelos órgãos reguladores estaduais, de acordo com a legislação e regulamentação específica.

Os investidores rejeitaram os últimos pronunciamentos do Bolsonaro sobre o funcionamento da maior empresa do Brasil, empurrando suas ações preferenciais e ordinárias para baixo 1,7% e 1,9%, respectivamente, no início do pregão de quinta-feira. . Às 11h10, horário local, eram duas das três ações com pior desempenho no índice mais amplo da Bovespa, que subia 0,1%.

Os comentários de Jair Bolsonaro na quarta-feira ajudaram a eliminar os ganhos nas ações preferenciais e ordinárias da Petrobras e eles fecharam a sessão virtualmente sem problemas. As ações preferenciais fecharam com queda de 0,08%. A venda continuou na quinta-feira.

Tags:
Valdemar Medeiros
Formado em Segurança do trabalho, especialista em marketing de conteúdo em conjunto de ações de SEO e Universitário de Publicidade e Propaganda.