Home > Sem categoria

Governo de SP quer receber os mesmos valores que o Rio em megaleilão do pré-sal

Paulo Nogueira
por
-
05-09-2019 01:00:13
em Sem categoria
Rio de Janeiro

Vamos trabalhar na Câmara a necessidade para que todos os estados produtores possam ser beneficiados e não apenas o Rio, disse o vice-governador de SP.

O governo de São Paulo vai tentar alterar na Câmara a PEC da cessão onerosa do megaleilão de petróleo aprovada no Senado. Um acordo entre líderes do senado determinou, na tarde desta terça, aumentou o valor a ser recebido pelo estado do Rio de Janeiro, que ficará com 2,5 bilhões de reais da cessão onerosa

A gestão de João Doria defendeu nesta quarta-feira, 04 de setembro, que todos os estados produtores sejam beneficiados pela nova partilha e não apenas o Rio de Janeiro.

De acordo com o vice-governador e secretário de Governo de SP, Rodrigo Garcia, São Paulo vai tentar ampliar o benefício para outros estados produtores do Sul e Sudeste.

“Vamos trabalhar na Câmara a necessidade para que todos os estados produtores possam ser beneficiados e não apenas o Rio. São Paulo é um estado produtor também”, disse o secretário.

Interlocutores do governo paulista começaram a fazer contato com lideranças na Câmara para construir apoio para a mudança do texto aprovado no Senado.

Em defesa, o governo paulista, diz que o texto aprovado restringiu a distribuição de um parcela extra sobre o excedente da produção aos estados da região dos Lagos.

“Do jeito que está beneficia o Rio de Janeiro e uma parte do Espírito Santo. Já que vai tirar uma parte a mais da União que seja para todos os estados produtores localizados na Bacia de Santos” alegou Garcia.

O vice-governador está conversando com os governos de Santa Catarina e Espírito Santo para organizar uma reação conjunta na Câmara.

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, já se colocou favorável a uma revisão do texto aprovado pelos senadores.

Petrobras prevê 1º óleo dos campos de Berbigão/Sururu no 4º trimestre

Tags:
Paulo Nogueira
Com formação técnica, atuei no mercado de óleo e gás offshore por alguns anos. Hoje, eu e minha equipe nos dedicamos a levar informações do setor de energia brasileiro e do mundo, sempre com fontes de credibilidade e atualizadas.