A maior fabricante de energia eólica do mundo vai recuperar e reutilizar todas as pás de turbinas dos seu portfólio global de parques eólicos onshore e offshore após o descomissionamento

Flavia Marinho
por
-
08-06-2021 08:36:21
em Energia Renovável
energia - turbinas - pás - eólicas - general electric - GE - Orsted - Renewable Energy Fábrica de pás para turbinas eólicas / Fonte: reprodução Google

Energia eólica: o maior desenvolvedor de parques eólicos offshore do mundo se compromete reciclar as pás de grandes turbinas eólicas

Orsted, o maior desenvolvedor de parques eólicos offshore do mundo, disse, na última quinta-feira, 03 de junho, que tem uma clara responsabilidade com o meio ambiente, e que vai recuperar, reutilizar ou reciclar todas as pás de turbinas de seu portfólio global de parques eólicos assim que estas forem desmontadas.

Leia também

A questão do que fazer com as pás das turbinas eólicas quando elas não são mais necessárias é uma dor de cabeça para a indústria. Isso porque os materiais compostos das pás são difíceis de reciclar, e a Orsted observou que a maioria das pás, uma vez desmontadas, são aterros sanitários.

À medida que os governos de todo o mundo tentam aumentar sua capacidade de energia renovável, o número de turbinas eólicas definitivamente aumentará.

A Comissão Europeia, braço executivo da UE, disse que quer capacidade para atingir pelo menos 50 gigawatts até 2030 e 300 GW apenas em meados do século.

O Reino Unido, por sua vez, quer que sua capacidade eólica offshore atinja 40 GW até 2030. Enquanto isso, os Estados Unidos também estão procurando aumentar, significativamente, sua capacidade eólica offshore nesta década.

Dado o exposto, o problema do que fazer com as pás da turbina se tornará ainda mais urgente no futuro. Por sua vez, Orsted explicou que armazenaria temporariamente as pás eólicas que estão fora de serviço no caso de encontrar uma solução para reciclá-las.

Reciclagem de pás para turbinas eólicas: uma questão cada vez mais importante

O destino das pás das turbinas, uma vez que são desincorporadas, tornou-se um grande desafio para a indústria. Várias grandes empresas envolvidas no setor têm tentado encontrar soluções para o problema nos últimos anos.

Por exemplo, em janeiro de 2020, a gigante de energia eólica Vestas disse que seu objetivo era produzir turbinas eólicas de “lixo zero” até 2040.

Por sua vez, a GE Renewable Energy e a Veolia North America assinaram um acordo de vários anos, em dezembro passado, para reciclar pás extraídas de turbinas eólicas onshore nos Estados Unidos.

Mais recentemente, foi anunciado que uma colaboração entre a academia e a indústria se concentraria na reciclagem de produtos de fibra de vidro, um movimento que poderia, eventualmente, ajudar a reduzir os resíduos produzidos pelas pás das turbinas eólicas.

Os proprietários de parques eólicos também querem ter um plano sobre o que fazer com seus produtos quando chegarem ao fim de sua vida útil.

Orsted, Vestas, LM Wind Power e GE Renewable Energy fazem parte do consórcio DecomBlades, uma iniciativa focada na reciclagem de pás.

Grandes negócios

Quando uma pá eólica acaba em um aterro ou é incinerada, é um desperdício de recursos, e oportunidades também estão sendo perdidas. Há um grande mercado para resolver o desafio de fim de vida das pás das turbinas eólicas, e o mercado será significativamente maior nos próximos anos.

Atualmente, apenas uma pequena parte dos compostos do mundo são reciclados, isso é particularmente verdadeiro para a indústria de turbinas eólicas.

Existem fábricas que lidam com a reciclagem de materiais compostos, mas muitas mais são necessárias para lidar com as quantidades de hoje e o que veremos no futuro.

Isso resolveria o dilema atual em relação à reciclagem de pás de turbinas eólicas, mas também resolverá desafios muito maiores para outras indústrias, e teria o potencial de se tornar um grande negócio.

O descomissionamento industrializado, no qual podemos considerar todos os aspectos, é um negócio que tem enorme potencial, mas requer a colaboração e a vontade de todo o setor.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.