A gigante multinacional coreana LG, fecha fábrica em SP e demite quase mil trabalhadores

Flavia Marinho
por
-
08-04-2021 14:26:04
em Indústria e Construção Civil
LG - produção - ford - emprego - sp - fabrica - Fábrica LG Taubaté – SP / Fonte: Reprodução – IG

LG, a maior companhia de eletroeletrônicos do mundo, encerra produção e fecha sua fábrica em SP, deixando cerca de 1000 trabalhadores sem emprego

Depois da Ford, outra grande multinacional está fechando as portas em SP. Após anunciar que abandonou a produção de celulares, em todos os países do mundo, alegando prejuízos acumulados da ordem de US$ 4,1 bilhões , a gigante multinacional coreana LG, também vai encerrar sua produção de notebooks e monitores em sua fábrica de Taubaté deixando quase mil trabalhadores sem emprego em SP.

Leia também

O anúncio aconteceu na última terça-feira (06/04). A LG disse que vai transferir suas linhas de produção para Manaus. Restaria na cidade paulista apenas a operação de call center da coreana. Com isso, o sindicato dos metalúrgicos estima a demissão de 700 dos atuais 1.000 funcionários da LG na região.

“A empresa fará a transferência da produção de notebooks, monitores e all in one para sua unidade de Manaus, de modo que fortaleceremos nossa competitividade comercial em TV, PCs e monitores”, disse a LG em nota. A companhia disse ainda negociar com o sindicato de Taubaté para “implementar compensação adicional aos direitos já vigentes” aos dispensados.

A transferência ocorre em razão de isenções fiscais que a LG tem na Zona Franca de Manaus

Ao sindicato de Taubaté, a empresa afirmou que a decisão foi tomada em função de ter benefícios fiscais no Amazonas e não dispor das mesmas isenções em São Paulo. A entidade terá novas reuniões com a LG até sexta-feira, e busca reverter a decisão.

“A decisão de transferir os notebooks e os monitores para o Amazonas foi tomada, segundo a empresa, depois que o governo de São Paulo decidiu não renovar a isenção de ICMS para o setor. A empresa diz que conversou com o governo (estadual), mas não teve jeito. Aproximadamente 700 seriam demitidos”, diz o presidente do sindicato dos metalúrgicos de Taubaté, Cláudio Batista.

Há intenção de readequar a fábrica na cidade para produção de produtos de linha branca – mas isso depende do fim da pandemia e da obtenção de incentivos fiscais junto ao governo paulista, disseram representantes da LG aos interlocutores do sindicato dos trabalhadores.

A LG negocia com o sindicado uma rescisão contratual e a transferência alguns trabalhadores de São Paulo para o Amazonas. Novas reuniões acontecem amanhã, 9 de abril.

O fechamento de mais de mil vagas de emprego, com a desativação da fábrica da LG, se soma à paralisação nas montadoras de automóveis. Levantamento realizado pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), revela que 29 das 58 fábricas de veículos instaladas no país estão paradas.

Publicidade




Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.