Início Usinas de energia nuclear poderão ser ativadas em diversos países após o agravamento da crise energética mundial

Usinas de energia nuclear poderão ser ativadas em diversos países após o agravamento da crise energética mundial

1 de agosto de 2022 às 21:33
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Energia, usinas, energia nuclear
Foto: reprodução pixabay.com

Com o corte do fornecimento de gás vindo da Rússia, por conta da guerra, alguns países estão considerando ativar novamente as usinas de energia nuclear

A crise energética da Europa atualmente, dado o corte do fornecimento de gás da Rússia, só ressalta que a Alemanha e a Bélgica se anteciparam quando determinaram o fim da geração nuclear pelas usinas de energia nuclear.

Desde 2011, em função do incidente em Fukushima, no Japão, os governos alemão e belga se declararam contra a energia nuclear, informando o fechamento de algumas usinas de energia nuclear. Porém, com a crise de energia mundial, os governos de todo o mundo estão reconsiderando suas políticas de energia a fim de incluir a construção de novos reatores energéticos.

Artigos recomendados

A energia nuclear advindas das usinas nucleares se tornou um requisito para se alcançar uma matriz energética mundial limpa até 2050. De acordo com a Agência Internacional de Energia (AIE), sem um aumento das geração de energia pelas usinas nucleares, a possibilidade de alcançar a proposta do carbono 0 até o ano de 2050 vai custar cerca de US$ 500 bilhões a mais, além de aumentar as contas de energia do consumidor final em US$ 20 bilhões por ano.

Reativação das usinas nucleares servirá para auxiliar os países dependentes de energia advinda da Rússia

A reativação das usinas de energia nuclear servirá como um auxílio para suprir as necessidades energéticas dos países, principalmente agora, no atual cenário de crise de energia, como esvaziamento de reservatórios, ou em momentos em que as energias renováveis não são tão eficazes, como à noite ou quando o vento não está tão forte.

Confira a lista dos países que já estão investindo ou voltaram a investir em energia nuclear:

  • Holanda: planeja construir uma nova usina nuclear, a primeira desde 1973;
  • Reino Unido: está construindo e também já se decidiu em construir uma nova usina nuclear;
  • Polônia: investiu na construção de novas usinas nucleares;
  • República Tcheca: está construindo um novo reator nuclear;
  • França: está planejando construir e exportar novas usinas nucleares;
  • Rússia e China: estão apoiando a energia nuclear na África;
  • Diversos países que não possuem usinas nucleares estão iniciando seus primeiros projetos de reatores nucleares;
  • O Japão está reativando usinas nucleares ociosas;
  • Alemanha: está considerando estender o ciclo de vida de suas usinas nucleares restantes;
  • Bélgica: está atrasando o fechamento de usinas nucleares;
  • União Europeia: votou para reconhecer formalmente a energia nuclear como “verde”;
  • EUA: anunciaram investimentos de US$ 6 bilhões para manter as usinas nucleares abertas;
  • Califórnia: está repensando o fechamento planejado do plano nuclear de Diablo Canyon.

Parlamento Europeu declara usinas nucleares como uma fonte de energia sustentável

O Parlamento Europeu validou um novo conjunto de diretrizes que classificam as usinas nucleares de geração de energia e gás como uma alternativa para o meio ambiente, sendo agora declaradas como uma fonte de energia limpa e renovável.

A validação veio após uma série de pesquisas feitas que chegaram à conclusão de que os combustíveis produzidos nas usinas nucleares podem ser menos prejudiciais ao meio ambiente. O gás é um combustível fóssil, que também é responsável por emissões poluentes, porém, se comparado com o carvão, é uma fonte de energia mais limpa. Já a energia nuclear não desenvolve gases de CO2, mas emite resíduos radioativos.

A conclusão tomada pelo PE se divide, visto que as usinas nucleares não são totalmente ‘’seguras’’, isso porque elas podem emitir materiais radioativos, o que exige uma severa capacitação de mão de obra capacitada na área da engenharia, para evitar possíveis acidentes irreversíveis.

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
YouTube YouTube
Instagram Instagram
Telegram Telegram
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes