Porto de Suape receberá R$ 1,2 bilhão em investimentos para obras de novo terminal de tancagem de GLP, em Pernambuco

Roberta Souza
por
-
15-07-2021 17:24:55
em Indústria Naval, Portos e Estaleiros
Porto – obras – GLP – Pernambuco Porto de Suape/ Fonte: Suape

O governador de Pernambuco anunciou que o Porto de Suape pode gerar aproximadamente mil postos de trabalho durante as obras

Ontem, o governador Paulo Câmara anunciou que o Porto de Suape, localizado no município do Cabo de Santo Agostinho no Pernambuco, terá um novo terminal de tancagem de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), o gás de cozinha. O investimento previsto é de R$ 1,2 bilhão, e a expectativa é da geração de cerca de mil postos de trabalho durante as obras. Veja ainda: Com investimento bilionário, empresa do setor atacadista construirá nova unidade e cerca de 1.000 empregos serão abertos em Pernambuco

Detalhes sobre as obras do novo terminal de tancagem, no Porto de Suape

O novo terminal no Porto de Suape contará com uma unidade de infraestrutura de 90 mil metros cúbicos de tancagem, além da implantação de dutos para movimentar a matéria-prima e fazer as conexões logísticas. O diferencial está na tecnologia, inédita no Brasil, na qual o gás é armazenado refrigerado, ocupando um volume reduzido que permite ampliar a capacidade de estoque. A previsão é de que o terminal, de 60 mil metros quadrados, comportará anualmente cerca de 1,5 milhão de toneladas de GLP.

Paulo Câmara destaca que o novo terminal de gás GLP vai gerar emprego e renda, e é mais um polo de infraestrutura fundamental para o crescimento do estado. Ele diz que estão muito confiantes de que, mesmo com a pandemia, irão conseguir avançar e continuar fazendo de Pernambuco um lugar cada vez melhor para investir, com bons empregos e qualidade de vida.

Parceria de empresas para as obras do empreendimento no estado de Pernambuco

A estrutura do Porto de Suape, no estado do Pernambuco, é uma parceria entre a Nacional Gás, do Grupo Edson Queiroz, e a Liquigás e Copagaz, da Copa Energia, com o objetivo de garantir o abastecimento da região Nordeste, que atualmente conta com estoque de apenas quatro dias.

Carlos Rotella, presidente do Grupo Edson Queiroz, diz que já tem um investimento anterior em Pernambuco, e agora decidiram diversificar. Carlos diz que irão atuar no setor de infraestrutura, e estão começando pela infraestrutura portuária. Essa é uma grande oportunidade para investir em tancagem, dada a modernização e revisão do modelo de abastecimento do gás GLP por parte da Petrobras, diz o presidente do Grupo Edson Queiroz.

Pedro Turqueto, vice-presidente da Copa Energia, diz que a empresa, com a aquisição da Liquigás, se tornou o maior player da América Latina de GLP e um dos principais do Nordeste. Esse investimento é um passo importante para garantia de abastecimento da região, porque passarão a ter uma tancagem com maior capacidade de armazenamento, garantindo o abastecimento no longo prazo, concluí Pedro.

Veja também: Obras do parque de tancagem de petróleo no Porto do Açu, no Rio de Janeiro, estão previstas para o próximo ano. 2 mil empregos poderão ser abertos

A Açu Petróleo, uma parceria entre a Prumo e a Oiltanking, tem a previsão de começar as obras no parque de tancagem de petróleo, no Porto do Açu, no estado do Rio de Janeiro, em 2022. O empreendimento que receberá investimentos de R$ 2 bilhões a R$ 2,5 bilhões, poderá gerar 2.000 empregos de forma direta e indireta. A previsão é que o empreendimento entre em operação em janeiro de 2024.

Além de ampliar a capacidade de exportação do estado, o parque de tancagem de petróleo no Porto do Açu, que poderá iniciar as obras no próximo ano, também será conectado a uma malha de dutos na região sudeste para oferecer alternativas às refinarias localizadas no estado do Rio de Janeiro e arredores.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos