Petroleira Shell projeta mais investimentos em energia renovável para tornar-se neutra nas emissões de carbono

Roberta Souza
por
-
21-09-2021 10:00:07
em Economia, Negócios e Política
Shell – projetos – energia Energias renováveis e logo da Shell/ Fonte: Solar Eólica

A Shell destacou a estratégia de transição energética para aliar suas operações às metas de ‘net zero’, emissões líquidas zero de carbono

A Royal Dutch Shell ou simplesmente Shell, multinacional petrolífera anglo-holandesa, anunciou recentemente que tem uma estratégia de transição energética para aliar suas operações às metas de ‘net zero’, emissões líquidas zero de carbono. A petroleira busca direcionar uma parcela maior das despesas de capital para os negócios de crescimento, como energia renovável e transição, em vez de priorizar as áreas convencionais de exploração e produção. Leia ainda esta notícia: Shell e Gerdau fecham parceria inédita para investimentos em uma nova usina de energia solar no estado de MG

Diversificação de mercado e investimento em energia renovável

A revista Forbes divulgou que a empresa até 2025, a Shell tem como meta lançar 15 mil lojas de conveniência, expandir a sua carteira de serviços de varejo e implantar cerca de 500 mil pontos de carregamento de veículos elétricos. Curiosamente, a companhia lançou o Shell Café na Holanda e na Rússia. A estratégia do pilar de crescimento é introduzir novos fluxos de receita, manter a participação de mercado em setores resilientes, expandir a base de clientes e adquirir experiência na descarbonização da mobilidade e de outros setores.

Além disso, a Shell busca alcançar uma participação de dois dígitos no mercado de hidrogênio limpo até 2035. A estimativa é que esses negócios recebam 30% do orçamento de gastos de capital, enquanto a dívida líquida caia para menos de US$ 65 bilhões.

Shell investe forte em energia renovável no Brasil e solicita nove novas usinas de energia solar fotovoltaicas em Minas Gerais

Com grandes investimentos na energia renovável, a Shell registrou, junto a Aneel, o pedido de aquisição de nove usinas de energia solar fotovoltaicas em Minas Gerais, no município de Corinto. A ideia da petroleira é que novos investimentos no mercado de energia renovável possam reduzir os níveis acentuados de CO2 da atmosfera.

O pedido da Shell de energia renovável prevê a instalação do complexo solar Electra, que contará com uma usina de potência instalada de 24,06 MW e outras oito usinas com potência instalada de 48,1 MW. Ao total, são 40 pedidos feitos pela Shell a respeito de instalação de usinas de energia solar fotovoltaicas no país. Os pedidos somarão, quando prontos, 1,823 GW de potência instalada e só em Minas Gerais serão 1,5 GW de potência instalada, o restante será no estado da Paraíba. Globalmente, a Shell pretende investir US$ 3 bilhões por ano em projetos que envolvem energia renovável a partir deste ano.

Estratégia da Shell para um novo mercado de energia renovável

Os investimentos fazem parte de uma estratégia da empresa de chegar em 2050 com suas emissões de carbono zeradas, apostando fortemente na energia renovável. No Brasil, a empresa também pensa em investir no mercado de energia eólica offshore. Bem van Beurden, CEO da Shell, afirmou que a população necessita de um sistema de energia renovável, pois não emite poluentes para que sejam cumpridas as metas do Acordo de Paris.

Ele afirma também que será necessário que as outras empresas mudem por conta demanda da sociedade. “Nesse contexto, uma empresa como a Shell pode optar por produzir petróleo e gás com emitindo o menor número de poluentes possível. Ou pode dizer: Se a população quer emissões liquidas zeradas e realmente queremos fazer parte dessa população, então iremos trabalhar e investir para alcançarmos essa meta de zero emissões”, afirmou o CEO da petroleira.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe