Petrobras anuncia ambição de atingir neutralidade das emissões de carbono de suas operações

Roberta Souza
por
-
21-09-2021 09:22:38
em Economia, Negócios e Política
Petrobras – carbono Petrobras/ Fonte: InfoMoney

A Petrobras divulgou sua ambição em atingir a neutralidade das emissões de carbono em suas atividades, em prazo compatível com o Acordo de Paris

Ontem pela manhã, segunda-feira (20/09), a Petrobras divulgou que tem a ambição de atingir a neutralidade das emissões de carbono nas atividades sob seu controle, em prazo compatível com o estabelecido pelo Acordo de Paris. A companhia também manifesta a intenção de influenciar seus parceiros a atingir a mesma ambição em campos de petróleo e gás nos quais a empresa é sócia, mas não é encarregada da operação. LEIA AQUI O COMUNICADO DIVULGADO PELA ESTATAL.

A ambição da Petrobras para neutralizar as emissões de carbono

A decisão da Petrobras está alinhada ao posicionamento mundial das 12 empresas membros da Oil and Gas Climate Initiative (OGCI – Iniciativa Climática para Óleo e Gás, na sigla em inglês), consórcio do qual a Petrobras faz parte desde 2018.

Juntas, estas 12 empresas, incluindo a Petrobras, representam cerca de 30% da produção global de óleo e gás e colaboram para acelerar a transição para baixo carbono. Com essa nova iniciativa, os membros ambicionam atingir a neutralidade das emissões, reconhecendo que possuem muitas, mas ainda não todas, as respostas sobre como chegar lá.

Neste contexto, a Petrobras, como maior empresa de energia do Brasil e importante player mundial, está comprometida com a transição para uma economia global de baixo carbono. “Nos últimos 11 anos, a companhia aprimorou em 47% sua eficiência em carbono na exploração e produção de petróleo e se estabeleceu como uma das produtoras de óleo e gás mais eficientes do mundo. Para seguirmos avançando nas reduções estamos prevendo ainda estabelecer um programa voltado especialmente para a aceleração da descarbonização”, destaca o diretor de Relacionamento Institucional e Sustentabilidade da Petrobras, Roberto Ardenghy.

O Acordo de Paris

A Petrobras busca a continuidade dessa trajetória, contribuindo para o Acordo de Paris e mantendo sua competitividade como produtora de óleo e gás de baixo custo e baixo carbono. No seu Plano Estratégico 2021-2025, a Petrobras prevê investimentos de US$ 1 bilhão em compromissos de sustentabilidade, envolvendo a descarbonização das operações; o desenvolvimento de combustíveis mais sustentáveis, como diesel renovável e bioquerosene de aviação; e pesquisas em energias renováveis e soluções de baixo carbono.

O Acordo de Paris, assinado em 2015 por quase 200 países, dentre eles o Brasil, prevê a adoção de políticas climáticas voltadas à redução da emissão de gases de efeito estufa, com o objetivo de limitar o aumento médio da temperatura global a menos de 2°C acima dos níveis pré-industriais até o fim do século (com esforços para 1,5°C).

Confira também: Petrobras e Gerdau assinam contrato para fornecimento de gás natural em Minas Gerais

No dia 13/09, a Petrobras e a Gerdau assinaram contrato para o fornecimento de gás natural no ambiente livre de comercialização para atendimento à unidade da Gerdau, localizada em Ouro Branco, no estado de Minas Gerais. O contrato assinado entre as empresas representa a primeira migração contratual de um cliente do mercado cativo para o mercado livre e um marco no processo de abertura do mercado de gás natural.

Rodrigo Costa, diretor de Refino e Gás Natural da Petrobras, diz que o acordo direto, entre a Petrobras e a Gerdau, materializa a orientação da Petrobras de ir ao encontro dos objetivos do consumidor, ofertando novos produtos e soluções comerciais aderentes às necessidades dos clientes, garantindo confiabilidade, competitividade, flexibilidade e satisfação para ambas as empresas.

Para a Petrobras o contrato com a Gerdau, faz parte da carteira de novos produtos lançados em 2021, que oferece aos seus clientes novas condições comerciais, possibilitando-lhes uma melhor gestão de seu portfólio de compras de gás natural. O contrato acordado representa a indexação de um mix de produtos, com vigência até 2025.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe