Início Petrobras reajusta e diesel sobe quase 15% e gasolina 5%, após meses sem sofrerem nenhum aumento

Petrobras reajusta e diesel sobe quase 15% e gasolina 5%, após meses sem sofrerem nenhum aumento

17 de junho de 2022 às 15:30
Compartilhe
Siga-nos no Google News
petrobras, política, valor de mercado
foto: reprodução Adobe stocker

Reajustes de 14,6% para diesel e 5,2% para a gasolina são anunciados pela Petrobras

Depois de 99 dias congelado, o valor da gasolina sofrerá um reajuste neste sábado, 18, pela Petrobras, passando a custar R$ 4,06 o litro nas refinarias da estatal, um aumento de 5,2% no preço. Já o diesel, que está há 39 dias sem sofrer nenhum reajuste no preço, vai passar a custar R$ 5,61 o litro, tendo um aumento de 14,2%, de acordo com um anúncio realizado pela Petrobras, nesta sexta-feira, 17.

Tais reajustes demonstram a disparada dos preços dos derivados de petróleo em nível mundial, seguindo a alta do preço do petróleo, tendo como consequência uma maior demanda de combustíveis e o fechamento de refinarias diante à guerra entre Rússia e Ucrânia.

De acordo com a Abicom (Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis), para igualar o preço do Brasil com o praticado no Golfo do México, de onde parte a maioria das cargas, o aumento do preço deveria ser de R$ 0,57 para a gasolina e R$ 1,37 para o diesel, diante de defasagens de 13% e 21%,respectivamente.

O aumento dos preços do diesel e da gasolina reajustados pela Petrobras, seguem a ascensão de preços do petróleo no mercado mundial. Nesta sexta-feira, 17, os contratos do petróleo para agosto eram comercializados a US$ 119,5 o barril no período da manhã, pelo horário de Brasília.

O câmbio também teve uma alta e já ultrapassa os R$ 5, com o cuidado dos investidores impulsionando a moeda norte-americana.

Artigos recomendados

Alta nos preços de gasolina e diesel causa tensão entre o governo e a Petrobras

A alta nos preços da gasolina e do diesel tem gerado alguns momentos de tensão entre a Petrobras e o governo. O presidente da República, Jair Bolsonaro, julga a Petrobras pelos altos lucros e distribuição de dividendos bilionários, incluindo dividendos para a União, e pede para que a Petrobras não realize mais nenhum reajuste nos preços dos combustíveis.

Pelo estatuto da Petrobras, um ocasional prejuízo gerado pelo seu acionista controlador (União) deve ser compensado, ou seja, para não haver mais reajustes nos preços da gasolina e do diesel, em relação ao mercado internacional, a União teria que devolver a diferença à Petrobras.

Ciro e Lira criticaram possível novo aumento nos preços da gasolina e diesel

Ciro Nogueira, ministro-chefe da Casa Civil e o presidente da Câmara, Arthur Lira, atacaram a Petrobras, nesta quinta-feira, 16, antes de a estatal anunciar um aumento nos preços da gasolina e diesel.

Diante de especulações que a Petrobras poderia reajustar os preços dos combustíveis, Ciro escreveu no twitter que a Petrobras não é de seus diretores e sim do Brasil, dando a entender que condenava mais um reajuste nos preços dos combustíveis.

Também, de acordo com o discurso do presidente Jair Bolsonaro, Ciro ainda declarou que a Petrobras não pode “continuar com tanta insensibilidade” e “ignorar sua função social”. “O governo, Congresso e todos com responsabilidade temos que acabar de vez com esse abuso dos lucros bilionários na hora em que a empresa não pode virar as costas para o Brasil e os brasileiros”, disse.

Ainda na quinta-feira, 16, Márcio Weber, presidente do Conselho de Administração da empresa, promoveu uma reunião urgente com os membros da estatal, a fim de decidir o aumento ou não nos preços do diesel e da gasolina.

Antes do reajuste nos preços anunciados pela Petrobras nesta sexta-feira,17, o governo vinha tentando convencer o presidente demissionário da Petrobras, José Mauro Coelho, não aumentar os preços dos combustíveis para que o teto de ICMS, validado nesta quarta-feira, 15, no Congresso com apoio do Palácio do Planalto, surta algum efeito nas bombas.

Relacionados
Mais recentes