Petrobras investe em tecnologia para monitoramento remoto de plataformas na Bacia de Campos

Flavia Marinho
por
-
18-08-2021 09:00:31
em Petróleo, Óleo e Gás
petrobras - bacia de campos - centro operacional - investimentos Centro de Operações Integradas Bacia de Campos Petrobras / Imagem Petrobras

Com um investimento de aproximadamente R$ 10 milhões, a Petrobras aprimorou seu Centro de Operações Integradas (COI) na Bacia de Campos

Petrobras investiu aproximadamente 10 milhões de reais no Centro de Operações Integradas (COI) na Bacia de Campos. No COI é possível acompanhar em tempo real, 24 horas por dia, sete dias por semana, os parâmetros de produção de 190 poços operados pela UN-BC na Bacia de Campos. Além disso, no espaço, 11 plataformas são operadas remotamente.

Leia também

São mais de 50 monitores de TVs, que acompanham, em tempo real, processos de produção de petróleo e escoamento de óleo e gás na região, situados a dezenas de quilômetros de distância de Macaé.

Petrobras monitora em tempo real, 24 horas por dia, sete dias por semana, os parâmetros de produção de 190 poços operados pela UN-BC na Bacia de Campos

A partir do COI, é possível acompanhar em tempo real, 24 horas por dia, sete dias por semana, os parâmetros de produção de 190 poços operados pela UN-BC na Bacia de Campos. O COI também monitora os estoques e traça estimativas de produção e de escoamento do óleo, o que evita a parada temporária das plataformas; além de acompanhar as operações e localização dos navios-tanques e embarcações de suprimentos.

Centro de Operações Integradas Petrobras

Os sistemas reconhecem qualquer alteração no processo de produção e, quando necessário, um alerta é enviado imediatamente ao COI, permitindo maior agilidade nas tomadas de decisões e ampliando o patamar de confiabilidade e de segurança.

O próximo passo é incorporar tecnologias digitais, como ferramentas de Machine Learning, para encontrar padrões entre as diferentes classes de informações e, desta forma, aumentar a eficiência de atividades de exploração e produção de petróleo. O objetivo é gerar análise estatística e conseguir prever, por exemplo, maximizar o escoamento de petróleo e gás e até mesmo otimizar parâmetros de tratamento de petróleo das plantas industriais das plataformas.

“Processamento mais rápido e algoritmos mais eficientes nos ajudam a reduzir riscos e antecipar decisões, elevando o retorno econômico dos nossos processos”, explica Fernando Borges, diretor de Exploração e Produção da Petrobras.

Controle operacional remoto

O Centro de Operações Integradas conta também com recursos e tecnologias de conectividade que permitem, com total segurança, o controle operacional e de produção de uma plataforma remotamente. Atualmente, 11 plataformas já possuem controle em terra. Uma das vantagens deste modelo é a redução de equipe embarcada, que permite diminuir a exposição a risco ocupacional, mantendo o nível de qualidade e segurança.

A plataforma é “replicada” e é possível realizar remotamente as operações. As salas de controle onshore possuem todos os dispositivos de uma offshore. O operador em terra se comunica por rádio a qualquer tempo com os profissionais embarcados e consegue controlar válvulas, bombas e demais equipamentos da produção de gás e de óleo.

São projetos como estes que elevam a eficiência operacional e a excelência em segurança da Petrobras. A companhia segue investindo em tecnologia e inovação como alavanca de negócios e também para promoção da segurança das pessoas, do meio ambiente e das instalações.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.
fwefwefwefwefwe