Petrobras desmente que há dezenas de pessoas infectadas a bordo da plataforma P-67, além de outros boatos


Petrobras desmente que há dezenas de pessoas infectadas a bordo da plataforma P-67, além de outros boatos

Segundo a Petrobras informações distorcidas têm circulado sobre os possíveis impactos do coronavírus nas atividades da companhia, confira a seguir o comunicado oficial da empresa.

A petrobras informou ontem (22), por meio de nota,  que um grande número de notícias falsas tem circulado sobre os possíveis impactos do coronavírus sobre as atividades da companhia. Apesar da crise, Petrobras recebe propostas para o afretamento do FPSO de Mero 3

Leia também

Segundo a Petrobras, a companhia vem monitorando continuamente o quadro de saúde mundial decorrente da pandemia de Covid-19 e adotando medidas preventivas. Confira aqui aqui os comunicados oficiais da empresa.

Confira abaixo a lista de perguntas e respostas com posicionamento da Petrobras

É verdade que há dezenas de pessoas infectadas a bordo da plataforma P-67?

A Petrobras informa que desembarcou preventivamente oito colaboradores da P-67 por apresentarem sintomas gripais, entre os dias 21 e 22 de março, conforme protocolo adotado pela empresa.
A exemplo do que ocorreu nesses casos, a companhia tem optado pelo desembarque preventivo, mesmo que os sintomas não configurem quadro clínico para coronavírus.

Que medidas são tomadas quando um caso suspeito é reportado?

Acompanhamos todos os casos reportados como suspeitos nas instalações da companhia e tomamos todas as medidas preventivas, incluindo desinfecção do local de trabalho e monitoramento das pessoas que tiveram contato próximo com o colaborador.
Também adotamos, por cautela, critérios ainda mais rigorosos em instalações com confinamento, como plataformas offshore. Nesses casos, mesmo que os sintomas não caracterizem quadro suspeito de coronavírus nos critérios do Ministério da Saúde, a companhia pode decidir pelo desembarque preventivo.

No domingo, 22/03, dois colaboradores tiveram teste positivo pra Covid-19, ambos lotados no estado do Rio de Janeiro. Um deles atua em regime de embarque, estava em férias e não esteve nas instalações da companhia após o contágio. O outro atua em regime administrativo e, assim que reportou os sintomas para a equipe de saúde da companhia, todas as medidas preventivas foram tomadas.
Até o momento, quatro colaboradores da Petrobras tiveram teste positivo para Covid-19.

Algum prédio ou pavimento da Petrobras foi evacuado em decorrência de infecção por coronavírus?

Não. Os prédios da Petrobras estão com ocupação mínima, restrita às atividades essenciais que não podem ser realizadas de forma remota. A companhia vem adotando todas as medidas preventivas e, quando alguém apresenta sintomas respiratórios, mesmo sem se enquadrar na avaliação clínica para coronavírus, os procedimentos de limpeza são reforçados. Algumas fotos que estão circulando retratam procedimentos de limpeza. Não há evacuação de andares ou prédios.

As refinarias vão parar por conta do coronavírus?

Não procedem informações divulgadas em redes sociais sobre o fechamento de refinarias da companhia em decorrência da pandemia de Covid-19. Disseminar notícias falsas diante do cenário adverso que nossa sociedade enfrenta no momento é uma atitude irresponsável e criminosa. A Petrobras tomará as medidas legais cabíveis junto às autoridades policiais.

A Petrobras reforça que está tomando uma série de medidas para preservar a saúde de seus colaboradores, conforme as orientações do Ministério da Saúde. As ações adotadas até o momento não trouxeram qualquer impacto para a produção da companhia. As operações nas plataformas e nas refinarias seguem normais.

Entre as medidas divulgas pela Petrobras, está a redução do efetivo ao mínimo necessário para a operação de suas plataformas. Isso impactará a produção de alguma forma?

Não há impacto em nossa produção até o momento. É possível operar as plataformas com efetivo reduzido sem comprometer a produção e a segurança das operações da companhia. Continuaremos monitorando os desdobramentos dessa crise para reavaliar essa questão diariamente.

É necessário que todos os colaboradores que trabalham em plataforma façam o teste para diagnóstico do coronavírus antes do embarque?

É falsa a informação que todos os trabalhadores serão testados para a presença do novo coronavírus antes do embarque. Antes do embarque, todos os colaboradores farão um isolamento prévio de 7 dias e serão examinados nos locais de embarque. As pessoas passarão por uma avaliação de sua condição de saúde, que inclui a aferição de temperatura corporal.

A Petrobras pretende adotar medidas mais restritivas para reduzir ainda mais o número de funcionários circulando em seu edifício sede e demais unidades?

A orientação atual da companhia é que adotem o teletrabalho todos os colaboradores que realizam atividades administrativas que podem ser feitas de forma remota. Após ampla divulgação de tal orientação na segunda-feira (16/03), mais de 70% dos trabalhadores lotados nos edifícios Sede (Edise) e Senado (Edisen), no Centro do Rio de Janeiro, já se encontram em homeoffice.
Pela natureza da atividade da Petrobras, mesmo em prédios administrativos, há colaboradores exercendo funções que não podem ser executadas remotamente. A companhia está avaliando diariamente a necessidade de novas medidas, com o suporte do comitê permanente criado para acompanhar a evolução do quadro de saúde mundial causado pelo novo coronavírus.

A obra do Comperj parou por conta coronavirus?

Em Itaboraí, o efetivo de trabalhadores na obra foi reduzido e todos estão passando por medição de temperatura corporal diária. Houve reorganização das rotinas de almoço e transporte, de modo a impedir aglomerações. Trabalhadores com sintomas suspeitos estão sendo encaminhados para quarentena residencial.

A circulação de colaboradores para chegarem nos locais de embarque às plataformas tem sido prejudicada por conta das restrições impostas aos ônibus intermunicipais e interestaduais?

Mantemos diálogo contínuo com as entidades governamentais para que os ônibus que transportam nossos colaboradores possam circular, seguindo as medidas preventivas necessárias para tal.

Um passo simples para se trabalhar embarcado mas poucos conhecem...

Um dos mercados mais almejados para profissionais que desejam trabalhar no mar é o offshore, principalmente em navios de cruzeiro, embarcações de apoio e marcantes. As escalas de trabalho são diferenciadas, podendo-se trabalhar apenas 6 meses e folgando mais 6. Assista o vídeo revelador que têm ajudado muitas pessoas no Brasil a ingressar neste mercado aqui.

Flavia Marinho

Sobre Flavia Marinho

Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.