Início Petrobras: ações caíram 8% em um mês e presidente pede renúncia, o que está acontecendo com a estatal?

Petrobras: ações caíram 8% em um mês e presidente pede renúncia, o que está acontecendo com a estatal?

21 de junho de 2022 às 06:36
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Petrobras: ações caíram 8% em um mês e presidente pede renúncia, o que está acontecendo com a estatal? - Canva
Petrobras: ações caíram 8% em um mês e presidente pede renúncia, o que está acontecendo com a estatal? – Canva

Nesta segunda-feira, 20 de junho, a estatal Petrobras (PETR3;PETR4)  anunciou que o seu presidente interino, Mauro Coelho, pediu demissão de seu cargo após conflitos com Bolsonaro e Lira, que está no comando da Câmara dos Deputados.

 A demissão do presidente da Petrobras aconteceu em um contexto de conflitos, em que houve um novo aumento de preços realizados pela instituição durante a última sexta-feira, 17 de junho. De acordo com Mauro, a variação de preços pela multinacional de petróleo era crucial para conseguirem acompanhar o mercado externo.  Vale salientar que as ações da estatal estão com queda acumulada de ao menos 8% em apenas um mês, mas terminaram com leve alta após a renúncia (1,1%). A saída do atual presidente poderá mostrar uma possível melhora para o setor econômico dos combustíveis. Afinal, o valor de alta nas ações da instituição em apenas um ano está por volta de 40%. Com a notícia de que houve demissão, e como tentativa de não prejudicar os maiores acionistas da instituição, a B3, bolsa de valores brasileira, declarou que estava suspendendo a sessão de negociações pela manhã da estatal, visto que, em quase ao meio dia, às baixas já teria alcançado o valor de 2%. 

As ações da Petrobras voltaram a ser negociadas. Estatal tem clima político intenso com presidente da República e vem recebendo alfinetadas 

Antes mesmo do meio-dia, as ações da estatal começaram a ser negociadas na B3. A Petrobras vem sofrendo com uma série de alfinetadas de Jair Bolsonaro, que argumenta que eles são os culpados por estarem transferindo todo o preço do mercado externo para os brasileiros. A transferência dos preços do mercado externo está acontecendo porque, de acordo com a multinacional, os antigos valores estavam defasados em ao menos dois dígitos e a instituição estava perdendo lucro. 

Depois que houve o anúncio de que estaria realizando um novo aumento de preços, tanto o Congresso quanto o ministro André Mendonça, do Supremo Tribunal Federal (STF), criticaram a instituição e falaram que estava contra os brasileiros.

Em inúmeros estados brasileiros, o valor da gasolina já está a mais de R$ 7, um dos preços mais altos já vistos. Com a nova alta do diesel,  ele começará a ser cotado a mais de R$ 6. No estado de Santa Catarina, administrado por Carlos Moisés, os postos já têm permissão para variar os preços dos combustíveis para mais de dois dígitos desde o ano de 2021. Os caminhoneiros, apesar de estarem entre os mais prejudicados neste setor, afirmam que não devem ser os únicos a se manifestarem. 

Tendo em vista os valores negativos cobrados pela instituição,  Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara dos Deputados, chegou, durante semanas anteriores, a pedir para que houvesse a demissão imediata do presidente da Petrobras, argumentando que era o melhor a se fazer para a economia brasileira. Estão há três semanas tendo conflitos sobre o assunto. Durante o final de semana, o presidente da Câmara dos deputados chegou a se manifestar nas redes sociais contra a estatal, afirmando que ela não deveria tentar enfrentar o povo porque o Brasil poderia a enfrentar. A publicação teve milhares de curtidas e compartilhamentos. 

Relacionados
Mais recentes