Para avançar no setor de energia nuclear, Governo do Brasil quer elevar produção anual de urânio para 2,4 mil toneladas até 2030

Flavia Marinho
por
-
10-09-2020 19:00:48
em Economia, Negócios e Política
energia nuclear, Governo do Brasil produção urânio Para avançar no setor de energia nuclear, Governo do Brasil quer elevar produção anual de urânio para 2,4 mil toneladas até 2030

Segundo o Ministério de Minas e Energia (MME), o objetivo das mudanças é a atração de investidores privados para a mineração de urânio, que será usado como combustível na energia nuclear no Brasil

Energia nuclear – O Governo pretende alterar a legislação para extração de urânio e o Brasil deve produzir 2,4 mil toneladas por ano do mineral a partir de 2030, disse o assessor do Ministério de Minas e Energia (MME), Almirante Ney Zanella dos Santos. Os planos do governo incluem também a abertura para o setor privado na exploração do urânio, quebrando o monopólio estatal.

Leia também

A informação apresentou um panorama atual em relação a energia nuclear no Brasil e, segundo o Chefe da Assessoria Especial de Gestão Estratégica, o objetivo das mudanças é a atração de investidores privados para a mineração de urânio, que será usado como combustível.

Zanella também destacou ontem (9/9) no webinar “O uso da energia nuclear no Brasil e no mundo” – Um evento preparatório para o NT2E – Nuclear Trade and Tecnology Exchange, que será realizado em 2021, os planejamentos para a matriz energética brasileira e os desafios para a energia nuclear no Brasil para os próximos 30 anos.

O evento também contou com a participação do Diretor Geral da Agência Internacional de Energia Atômica, Rafael Mariano Grossi, que falou sobre o cenário atual dos setores nucleares no mundo e destacou o Brasil como um exemplo de “sofisticação tecnológica nesse cenário” afirmou Rafael durante o webinar.

Autoridade Nacional de Energia Nuclear

Foi destaque no webinar a criação da “Autoridade Nacional de Energia Nuclear”, os novos caminhos para a política nuclear no Brasil foram apresentados pelo Ministério de Minas e Energia.

Ainda não há prazo para efetivação da criação, mas a instituição será uma agência reguladora vinculada ao Ministério e responsável pela certificação e licenciamento de projetos.

Planos do governo incluem também a abertura para o setor privado na exploração do urânio, quebrando o monopólio estatal. A Indústrias Nucleares do Brasil (INB), que é a responsável pela produção nacional, tem capacidade para produção de 400 toneladas por ano. A INB pretende abrir novas lavras assim como adotar processos mais modernos de beneficiamento.

Ainda na tentativa de avançar com a energia nuclear, o governo do Brasil pretende iniciar operações da usina de Angra 3 a partir de 2026. Por enquanto, as obras estão paralisadas.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.