Painéis de energia solar bifaciais chegam ao Brasil e podem gerar até 25% mais energia

Roberta Souza
por
-
02-02-2021 18:14:52
em Energia Renovável
Energia solar, energia, geração de energia

Com grandes investimentos no setor de energia solar, o aparelho pode gerar até 25% mais energia e possui ótima relação custo-benefício

Segundo levantamento da Absolar – Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica, o Brasil atingiu em 2020 um novo recorde na geração de energia solar fotovoltaica. Com os grandes investimentos no setor, a Aldo, líder no país em soluções de energia solar, apresentou o novo Painel Solar Bifacial 410W da Jinko, que visa a geração distribuída de energia, podendo aumentar em até 25% sua geração de energia.

ANÚNCIO

Veja ainda outras notícias:

A empresa de soluções para geração de energia solar, trouxe para o mercado brasileiro os painéis solares Jinko Tiger Pro 440W, que é o primeiro painel de 60 células vendido fora da China. Agora, Aldo lançou mais um produto: o novo Painel Solar Bifacial 410W Jinko.

Gustavo Silva, gerente de serviços técnicos da Jinko Solar, diz que “Mais uma vez a Aldo Solar demonstra o seu pioneirismo no mercado brasileiro, sendo o primeiro distribuidor a vender os módulos bifaciais da Jinko no país. Os módulos bifaciais, como é o caso do módulo bifacial de 410 watts da Jinko, vão se tornar cada vez mais comuns nos sistemas solares devido a sua grande gama de aplicação e sua maior geração de energia, dependendo do albedo. A Aldo Solar sempre contribui para a inovação e desenvolvimento da geração distribuída no Brasil, trazendo cada vez mais tecnologias para os nossos sistemas”.

O CEO da Aldo Solar, Aldo Pereira Teixeira avalia que “Estamos bastante animados com o lançamento do Painel Solar Jinko Bifacial 410W no Brasil.  Junto à disponibilidade do Painel Solar Tiger Pro 440W trarão ainda mais inovação para o mercado premium brasileiro e devem fomentar ainda mais o crescimento tão almejado pelo setor. Ambos os painéis têm custo próximo aos modelos da geração anterior, mas são mais eficientes, com maior potência e tamanho bastante reduzido, o que deve baratear custos com frete internacional e doméstico, com mais Watt-pico no mesmo container ou no mesmo palete”.

Crédito da imagem: Gustavo Ponte


⇒ Participe dos nossos grupos do Telegram e fique atento a todas as notícias do mercado de energia, empregos, projetos e outros assuntos microeconômicos do Brasil. Nossas informações sempre são direto das fontes e atualizadas. Acesse o Nosso Telegram aqui.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos