Ministro do MME ressalta que uso das usinas termelétricas são necessárias para manter segurança energética do país

Ceará - usinas - termelétricas Usina termelétrica/ Fonte: PetroNotícias

Bento Albuquerque, o ministro do MME, diz que uso das usinas termelétricas não significa “sujar” a matriz energética brasileira

Em entrevista concedida ao site epbr, Bento Albuquerque, Ministro do MME (Ministério de Minas e Energia), ressaltou a importância da energia gerada pelas usinas termelétricas. Bento diz que é necessário o uso das usinas para manter a segurança energética do país e que a expansão da geração térmica não significa “sujar” a matriz energética do país. Confira ainda esta notícia: MME prevê investimento de R$ 20 bilhões com programa que prorroga uso de termelétricas movidas a carvão

Uso das usinas termelétricas trazem segurança para o sistema energético do Brasil

Durante a entrevista, o ministro do MME ainda disse que as usinas termelétricas são para ser utilizadas e que significa reserva de capacidade. Bento ainda defende que as térmicas não são utilizadas 365 dias por ano, 24h por dia. O ministro do MME (Ministério de Minas e Energia) disse ainda que quando não tem vento, não tem sol, não tem água, tem que usar as usinas termelétricas para ter segurança. 

Na última semana, o ministro do MME participou da 26ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP26), que ocorreu em Glasgow, na Escócia. O evento teve início no dia 31 de outubro, onde o governo do Brasil anunciou o objetivo de alcançar participação entre 45% e 50% de energias renováveis na matriz energética em 2030.

Brasil chegará em 2030 com metade da sua matriz energética de fontes renováveis, diz ministro do MME 

No dia 03 de novembro, o ministro do MME disse ainda que o Brasil chegará a 2030 com metade da sua matriz energética limpa (uso de fontes renováveis). A meta anunciada em documentos divulgados pelo Ministério do Meio Ambiente ditam a margem para a ampliação de renováveis na matriz. Segundo Bento Albuquerque, o país tem expandido a matriz energética, como por exemplo o crescimento da geração de energia solar e eólica.


Bento diz que a matriz elétrica do Brasil é a mais limpa dos países da OCDE, dos países do G-20. O ministro do MME ainda completa que ao utilizarem as usinas termelétricas, faz parte da matriz que já é considerada a mais limpa do mundo. “Mas a energia termelétrica, não só no Brasil, mas em outras partes do mundo, é necessária para manter a segurança energética do sistema. Então é isso que foi feito, não tornamos a nossa matriz suja por conta disso”, diz.

Veja ainda: Estados da região Sudeste entram na briga para sediar a nova usina nuclear, anunciada pelo ministro do MME

Durante participação na Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2021 (COP 26), na Escócia, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, anunciou que está em busca de um local para a construção de uma nova usina nuclear no país. O ministro do MME ressalta que os novos projetos do setor terão a participação da iniciativa privada.

A construção da usina deve ser indicada no Plano Decenal de Energia (PDE) de 2031, documento que serve de base para o planejamento do setor. Com duas usinas (Angra 1 e 2, em Angra dos Reis-RJ), a matriz responde hoje por menos de 3% de toda a energia gerada no país. O governo diz que está estudando onde será construída a nova usina nuclear. “Já pensando mais para frente, estamos trabalhando no PDE 2031, a ser apresentado no início do próximo ano, que além da conclusão de Angra 3, em 2026/2027, estará prevista a implantação de uma nova usina nuclear no Brasil. Para isso, o MME, a EPE e a Cepel, já deram início aos estudos complementares para localização de novos sítios nucleares no Brasil”, disse o ministro do MME.

Publicidade




Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos