Mesmo após troca de comando da Petrobras, gasolina e etanol sofrem alta de 2 dígitos

Valdemar Medeiros
por
-
16-09-2021 12:44:07
em Economia, Negócios e Política
Petrobras - Gasolina - combustíveis - etanol - Silva E Luna Mangueira de abastecimento da nova gasolina brasileira com o posto de combustível ao fundo (Foto: Shutterstock)

Mesmo após a saída de Castelo Branco da presidência da Petrobras, a política foi mantida e a gasolina e o etanol sofreram aumento. O preço dos combustíveis saíram de 10% para 20%

Mesmo após a saída de Roberto Castello Branco da presidência da estatal, o comando da Petrobras manteve sua política de preços dos combustíveis como a gasolina e o etanol. A função foi assumida em fevereiro deste ano pelo general Joaquim Silva e Luna, que teve seu anúncio feito pelo chefe do Executivo e pegou todos os acionistas da Petrobras de surpresa. De acordo com dados da ANP, os preços dos combustíveis como etanol e a gasolina no país subiram rapidamente depois que Castelo Branco soube que deixaria o cargo.

Leia também

Preço dos combustíveis sobem de 10 para 22%

Os fortes reajustes do fim de fevereiro até o início do mês de abril foram representados como uma forma de tirar o represamento de preços. O mercado financeiro avaliou que o ex-presidente da Petrobras segurava os valores devido as constantes críticas de caminhoneiros e de Bolsonaro. Já com a chegada de Silva e Luna, os anúncios passaram a ser expressados.

Ao consumidor final, os combustíveis subiram de 10% à 22% no preço pago na bomba desde abril. Atualmente, a média de preço da gasolina no país é de R$ 6 por litro e o diesel é de R$ 4,60. O preço pago pelos consumidores no valor final também é resultado de outros fatores, como o ICMS cobrado pelo estado. De acordo com a Petrobras, 33,8% do preço da gasolina que é pago no Brasil é de sua parte alçada.

O etanol, que é misturado no combustível, equivale a 17,2%. O ICMS, que é citado como vilão por Jair Bolsonaro impacta 27,9% do preço. Os impostos federais correspondem a 11,4%. Bolsonaro tem cobrado publicamente que os estados reduzam seu ICMS para que o preço da gasolina e etanol diminuam.

Presidente da Petrobras se pronuncia em comissão na Câmara

Apesar do que defende o presidente Jair Bolsonaro, os governadores afirmam que o imposto estadual não teve aumentos e que os reajustes dos combustíveis se devem à política de preços da estatal. Porém, há aumento grande na receita das unidades da Federação com os ajustes em alta, pois a alíquota do ICMS é um percentual fixo em relação aos preços finais.

O presidente da Petrobras declarou em comissão que o interesse da Petrobras é o Brasil e quando a estatal consegue gerar lucros, também está gerando dividendos para o seu maior acionista que é a união. Segundo o presidente, o pagamento de dividendos ao Governo Federal soma R$ 20 bilhões entre os anos de 2019 a 2021.

Amapá possui a gasolina mais barata do país

Em algumas regiões, o preço da gasolina chega a R$ 6,5 o litro, como é o caso do Piauí. Até o momento, o mais barato entre os estados está o de Amapá, no norte do país com R$ 5,18.

Os valores estão altos para os padrões brasileiros de combustíveis, que são medidos pelo IBGE. Entretanto, o valor em dólar do litro da gasolina no Brasil (US$ 1,15) está abaixo da média mundial, que é de US$ 1,20. De acordo com dados do Global Petrol Price, o valor é apenas o 82° mais caro entre 167 países.

Tags:
Valdemar Medeiros
Especialista em marketing de conteúdo, ações de SEO e E-mail marketing. E nas horas vagas Universitário de Publicidade e Propaganda.
fwefwefwefwefwe