Petrobras declara ter tido aumento em venda de ativos no ano de 2019

plataforma de perfuração de petroleo
 

Segundo os dados apresentado pela Petrobras, no período de 2015 até 2018, vindo da política de desinvestimentos adotada pela companhia, já entraram no caixa da Petrobras, aproximadamente US$ 15,4 bilhões.

Na gestão de Roberto Castello Branco, a Petrobras já gerou total de US$ 9,25 bilhões em desinvestestimentos este ano, com a venda de 90% da “TAG” Transportadora Associada de Gás, com o acordo findado com a Engie. Sem contar que a companhia, no exercício de 2019 já tem US$ 1,85 bilhão em negócios ainda não concluídos. Os anos 2017 e 2018, somaram cerca de US$ 8,5 bilhões, sendo que os negócios anunciado pelo programa de desinvestimento desde ano já superaram esses valores.

A estatal já anunciou que em 2019, venderá a refinaria taxada Pasadena, para Chevron, e do campo de Maromba, na Bacia de Campos, para a BW Offshore, Além dos US$ 8,6 bilhões na negociação da TAG.

A expectativa é que na gestão do Castello Branco, seja intensificada a política de desinvestimento, já que o mesmo já assumiu a gestão com todos os negócios já em andamento da administração anterior do Pedro Parente.

O executivo da Petrobras já sinalizou que poderão atingir em menos de 12 meses entre US$ 30 bilhões e US$ 40 bilhões.

Os números dão uma dimensão do que se esperar do programa de desinvestimentos “mais agressivo” que Castello Branco vem propagando.

Além do mais, já foi anunciado pelo presidente o desejo de sair da Braskem e o número de refinarias a serem vendidas, portanto, a companhia está avaliando uma possível oferta secundária de ações da BR Distribuidora.

Veja também: Ibama concede licença prévia e nova fase do Pré-sal ma bacia de Santos demandará 11 novas FPSOs em um total de 23 empreendimentos

Sobre Bruna Fiorani

Brasileira, casada, Técnica em Logística, concluinte do curso de Administração na FeMASS (Faculdade Miguel Ângelo da Silva Santos), com conhecimento intermediário da língua inglesa e fotógrafa.