Castello Branco diz que a Petrobras venderá escritórios no exterior

Petrobras Castello Branco

Atualmente, a Petrobras possuí 11 unidades em outros países. A medida faz parte do plano de desinvestimentos da estatal petroleira.

Em declaração feita nesta terça-feira, 8 de outubro, o presidente da Petrobras Roberto Castello Branco, disse que a estatal terá somente seis escritórios no exterior até o fim deste ano. A declaração ocorreu em uma audiência pública na Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados. “Sede da Petrobras em Salvador, na Bahia, era um templo de corrupção”, disse Castello Branco na Camara dos Deputados.

A venda dos ativos é uma forma de reduzir as dívidas da estatal. Segundo Castello Branco, os desinvestimentos já realizados, assim como os previstos no futuro, não significam uma redução de empregos e nem o desmonte da petrolífera.

Atualmente, a petrolífera possuí 11 unidades em outros países. A medida faz parte do plano de desinvestimentos da Petrobras.

Após a redução, além do Brasil, a estatal ainda contará com escritórios na Bolívia, na China, em Cingapura, nos Estados Unidos, na Holanda e na Inglaterra.

O número de escritórios que a estatal possuí em território brasileiro também enfrenta redução. Entre 2015 e 2019, a petrolífera passou de 72 imóveis no País para 38.

Dessa forma, os custos direcionados para este setor caíram 35%. “Estamos em um processo de racionalizar espaço, que representa uma economia de R$ 700 milhões anuais”, afirmou Castello Branco.

Desinvestimento

Nos dias que correm, a Petrobras considera vender 183 campos, segundo o presidente da estatal. Além disso, Castello Branco declarou que a produção em alguns dos estados do Nordeste se tornou irrelevante.“Estamos vendendo essas operações para outras empresas, várias brasileiras”, afirmou o presidente da estatal.

Castello Branco afirmou ainda que não há planos de privatização para a estatal. “Não existe nenhum plano de privatizar a Petrobras, isso é um fantasma”, afirmou.

O dirigente da empresa aproveitou para lembrar que a petroleira tem feito planos de demissão incentivada para empregados dos setores que estão sendo vendidos. “Não vamos deixar ninguém para trás”, afirmou o CEO da empresa.

O presidente da Petrobras também falou sobre o diesel. “Poderíamos vender diesel a preço venezuelano que não resolveria o problema dos caminhoneiros. O problema dos caminhoneiros é que falta carga e, com os incentivos dados em governos anteriores, há um excesso de caminhões nas estradas”, analisou.

Flavia Marinho

About Flavia Marinho

Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e experiente na indústria de construção naval. OBS: Não contratamos, então não envie currículos! Informações sobre empregabilidade apenas no site.