Governo vai gerar 500 mil empregos com 536 pequenas centrais hidroelétricas, diz Ministro do MME

Governo Federal 500 mil empregos ministro hidroelétrica

No Fórum dos Agentes do Setor Elétrico e do Fórum de Meio Ambiente do Setor Elétrico, o ministro diz que estes empreendimentos estão em prioridade máxima

Empresários e acionistas do ramo de energia elétrica ficaram otimistas após declarações do então Ministro do Minas e Energia, Bento Albuquerque, sobre a geração de cerca de 500 mil empregos com um projeto que facilitará o licenciamento de centrais hidroelétricas de pequeno porte. Conforme o estudo apresentado pela Abrapch ( Associação Brasileira de Pequenas Centrais Hidrelétricas), o sistema atual leva quase 10 anos para deliberar uma licença, de acordo com Paulo Arbex, presidente da instituição.

Serão investidos cerca de R$ 70 bilhões e há atualmente 536 pequenas centrais hidroelétricas na fila de espera. O ministro diz que estes mesmos empreendimentos estão na lista de prioridade do governo: Serão mais de R$ 70 bilhões em investimentos e mais de 500 mil empregos. É um impacto extremamente positivo. E mais do que isso: é um legado para o Brasil”, relatou Albuquerque.

O ministro, um tanto quanto crítico à politicas de gestões energéticas de governo anteriores, disse que o Brasil deu prioridade demais a energias de carbonização e agora é o momento de mudar este paradigma, fato este consumado por guerras comerciais pela “melhor fatia do mercado”.

Além do desafio ambiental, precisamos ter contratação da fonte nos leilões. Os governos passados contrataram, na média, 130 MW/ano – 1,9% do total. Para se ter uma ideia, o país contratou 26% de térmicas. É o Brasil na contramão da descarbonização. A verdade é que o setor elétrico demanda R$ 20 bilhões por ano em investimento em nova geração. Existe uma guerra comercial para saber quem ficará com a maior fatia. E alguns usam qualquer argumento para aumentar seu quinhão. E o país acaba tomando decisões erradas, em virtude de pressão ou lobby, ao invés de fazer aquilo que é melhor.”

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Click Petróleo e Gás.

Paulo Nogueira

Sobre Paulo Nogueira

Formado em Eletrotécnica e entusiasta do setor de tecnologia, com experiência no setor O&G em empresas nacionais e internacionais.