Empresa chinesa investirá pesado no Ceará, que espera produzir mais de 5 GW de energia eólica offshore nos próximos cinco anos

Paulo Nogueira
por
-
24-10-2020 17:17:09
em Energia Renovável
Energia Eólica Offshore Ceará Chinesa

A chinesa Mingyang Smart Energy fará do Ceará uma das potências nacionais no setor de energia eólica offshore e um grande fornecedor devido a localização geográfica

O Ceará desponta como importante produtor e fornecedor de turbinas eólicas para energia eólica offshore nos próximos anos. Após a assinatura do memorando de entendimento entre o Governo do Estado do Ceará e a chinesa Mingyang Smart Energy, em setembro deste ano a instalação de uma grande indústria de aerogeradores para parques eólicos no oceano avança em ritmo vertiginoso.

Nesta semana, o vice-presidente da multinacional chinesa, Larry Wang, voltou ao Ceará para definir os detalhes da instalação da fábrica no Complexo do Pecém. Nesta segunda-feira (19), o Sr. Larry foi recebido pela secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Maia Júnior, e pela secretária Executiva da Indústria, Roseane Medeiros. O vice-presidente acompanhado do gerente regional de Mingyang, Ben Gao, destacou a intenção do grupo chinês de transformar o Porto do Pecém em pólo exportador de aerogeradores para usinas eólicas offshore para o Brasil e exterior.


“Nós, do Governo do Estado, estamos trabalhando de forma ágil e com o compromisso de criar condições para atrair empresas produtoras de energia renovável para o Ceará. Estamos empenhados em fornecer todo o apoio institucional para que o projeto Mingyang se consolide. Estamos muito felizes e entusiasmados em estabelecer essa matriz energética limpa no Ceará e no Brasil ”, afirma Sedet, da Maia Júnior. Para se instalar no Ceará, a empresa também considera fatores como a localização geográfica, que garante o potencial de geração de energia elétrica a partir de combustíveis renováveis ​​e a infraestrutura do Porto do Pecém. 

Sedet está apoiando institucionalmente a viabilidade de construção de uma torre para a multinacional China. “A empresa produz e opera turbinas eólicas e parques eólicos offshore na China e quer entender as condições do nosso litoral”, disse Sérgio Araújo,

Mingyang decide sobre os detalhes da instalação da fábrica em Pecém, e os projetos de geração eólica ganham impulso. Empresários locais e internacionais estão tomando providências para viabilizar a instalação de 4 parques eólicos, aprovando a força do vento que sopra no mar, em Caucaia (1), Camocim (1) e Amontada (2).
O projeto do Parque Eólico Marítimo Asa Branca tem previsão de produção de 400 MW na costa do município de Amontada, em uma área de 15 km do continente, a uma distância entre 3 km e 8 km da praia. 

O empreendimento terá Linha de Transmissão própria e prevê a utilização de navios-plataforma autoelevantes de piso rebaixado para a instalação das fundações, peças de transição, torres, gôndolas, remos, cabos de controle elétrico / submarino e formação rochosa circundante.

A BI Energy possui projetos para instalação de parques eólicos offshore em Caucaia e Camocim. Em Caucaia, na praia de Icaraí, o parque eólico terá 48 aerogeradores no litoral e 11 aerogeradores semi-costeiros, totalizando 598 MW de potência. Em Camocim, o segundo projeto eólico offshore da BI Energia terá 100 aerogeradores e capacidade instalada de 1,2 GW. O parque eólico recebeu autorização do Ibama para desenvolver estudo de impacto ambiental e prevê investimento de R $ 14 bilhões.

A Neoenergia (iberdrola), um dos principais grupos privados do setor elétrico, também analisa as oportunidades do potencial eólico offshore do Ceará. A empresa está desenvolvendo estudos preliminares e começando a solicitar licenças ao Ibama para o parque eólico Amontada, que produzirá 3 GW com linha de transmissão e subestação no solo.

A Mingyang Smart Energy foi fundada em 1993, com sede em Zhongshan Guangdong, China. A Mingyang Smart Energy é uma fabricante de turbinas eólicas de primeira classe e fornecedora de soluções integradas de energia limpa. A empresa possui 16 fábricas localizadas na China e na Índia. Atua nos setores de energia eólica e solar, ocupando a 37ª posição entre as 500 maiores novas empresas de energia do mundo e a 1ª em inovação em energia eólica offshore

Tags:
Paulo Nogueira
Com formação técnica, atuei no mercado de óleo e gás offshore por alguns anos. Hoje, eu e minha equipe nos dedicamos a levar informações do setor de energia brasileiro e do mundo, sempre com fontes de credibilidade e atualizadas.