Brasil e Índia articulam futuro da bioenergia com o uso do biocombustível etanol na transição energética mundial

Flavia Marinho
por
-
22-05-2021 14:10:49
em Usina e Agronegócio
etanol - preço - raizen - usina - biocombistíveis - bioenergia - queima de estoque Etanol bomba de combustível / Fonte: Reprodução – Via AutoPapo

O futuro da bioenergia com o uso do etanol será discutido entre Governo e empresários brasileiros com o embaixador da Índia na próxima semana

A próxima semana será marcada por um evento on-line da Fenasucro & Agrocana Trends, entre o Governo e empresários brasileiros com o embaixador da Índia, para debater o uso biocombustível etanol na transição energética mundial.

Leia também

O webinar, que está marcado para o próximo dia 25, às 16h, organizado pela Fenasucro & Agrocana TRENDS, contará com a presença de empresários brasileiros do setor de bioenergia e automotivo e de representantes do governo nacional e da Embaixada da Índia, e irá tratar sobre a relevância da viabilização do etanol como aditivo em combustíveis fósseis em escala global, potencializando a transformação do biocombustível em commodity, assim como a transição energética focada em fontes renováveis, demonstrando os desafios e o caminho para um futuro mundial mais verde e sustentável.

O evento online contará com a presença do de Francis Queen (VP Executivo Etanol, Açúcar e Bioenergia da RAÍZEN); Pablo Di Si (Presidente e CEO da Volkswagen Brasil e América Latina); Pietro Mendes (Diretor de Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia do Brasil) e Suresh K. Reddy (Embaixador da Índia no Brasil).

A importância do tema é destacada por Paulo Montabone, Diretor da Fenasucro & Agrocana e moderador do webinar. “O etanol como commodity viabilizará a adoção do mesmo como aditivo aos combustíveis fósseis, diminuindo, em escala mundial, a emissão de CO². Um dos maiores desafios nesta transição é o aumento em escala global da produção do biocombustível, uma vez que a maioria dos países produtores de cana ainda opta pela produção de açúcar. Outro desafio é a transferência de conhecimento e tecnologia na produção de etanol – de cana ou de milho -, que o Brasil domina, para outros países produtores na África e América Latina”, explica Montabone.

Brasil e Índia podem suprir grande parte da demanda mundial por etanol

Para o executivo, a grande vantagem de ter a Índia como parceira do Brasil é que, juntos, esses países podem suprir grande parte da demanda mundial por etanol.

Além do tema já citado, o evento online abordará outros aspectos, como as novas tecnologias a partir de fontes renováveis que o setor automotivo tem desenvolvido, as estratégias adotadas pelos grandes grupos empresariais do setor de bioenergia para atender à demanda latente por etanol no mundo e os programas, políticas públicas e impulsionamento que o governo pode dar ao setor. “São questões fundamentais para que o mercado de bioenergia entenda seu novo momento e que, os grandes nomes que representarão os elos de produção, consumo e governos irão abordar no encontro”, continua o diretor da Fenasucro & Agrocana.

Os interessados em participar do grande evento podem se inscrever gratuitamente, por meio da plataforma digital Fenasucro & Agrocana TRENDS, através neste link. As vagas são limitadas.

A 28ª edição da FENASUCRO & AGROCANA (Feira Internacional da Bioenergia) acontecerá entre os dias 9 e 12 de novembro de 2021, no Centro de Eventos Zanini, em Sertãozinho (SP).

O evento, realizado pelo CEISE Br e promovido e organizado pela Reed Exhibitions, é o único da América Latina a reunir inovações e conteúdo de alto nível técnico voltados à toda cadeia de produção da indústria de bioenergia, além de ter profissionais das indústrias de alimentos e bebidas, papel e celulose, transporte e logística e distribuidoras e comercializadoras de energia.

Raízen, líder global produtora de etanol, fatura mais 13 anos o uso da marca Shell em seus postos de distribuição de combustíveis

A gigante produtora global de etanol Raízen informou, ontem (21/05), em fato relevante ao mercado, que renovou, por mais 13 anos, o acordo com a Shell Brands International para ter o direito de uso da marca da petroleira no setor de distribuição de combustíveis.

“A celebração do referido contrato foi ratificada por meio da reunião do conselho de administração da Raízen Combustíveis, na qual os representantes eleitos por indicação do grupo Shell se abstiveram de votar”, informou.

Vale lembrar que a líder produtora de etanol Raízen é uma joint venture entre o Grupo Cosan e a própria Shell. Atualmente, a empresa se prepara para embarcar na Bolsa de valores!

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.