1 trilhão de euros deixarão de ser investidos na indústria de petróleo gás

Flavia Marinho
por
-
14-12-2020 13:01:16
em Petróleo, Óleo e Gás
climática - petroleo e gás - BEI

O plano “Climate Bank” do Banco Europeu de Investimento (BEI) estava em discussão desde o ano passado, quando foi apresentado como um sinal da intenção da UE de liderar a luta contra as mudanças climáticas

Os governos da União Europeia aprovaram um “roteiro” verde de 1 trilhão de euros (US$ 1,2 trilhão) na última quarta-feira (09), que o fará parar de financiar projetos de petróleo e gás, e expansões aeroportuárias, embora grupos climáticos tenham dito que ele não foi longe o suficiente. Companhia Energética de Brasília – CEB, tem aval do STF para ir a leilão e ser privatizada

Leia também

O plano “Climate Bank” do Banco Europeu de Investimento (BEI) estava em discussão desde o ano passado, quando foi apresentado como um sinal da intenção da UE de liderar a luta contra as mudanças climáticas.

Os 1 trilhão de euros devem ser gastos até 2030 em projetos focados em clima, biodiversidade e sustentabilidade.

O banco diz que “todas as atividades de financiamento” também estarão alinhadas com o acordo climático de Paris até o final deste ano. “É uma grande contribuição para o papel da Europa que lidera o caminho para a descarbonização e uma economia verde, resiliente e socialmente inclusiva”, disse o presidente do BEI, Werner Hoyer, em comunicado.

Grupos ambientalistas haviam saudado as propostas do BEI no ano passado, mas disseram que a versão final havia sido despojada de parte de sua ambição
original.

Seu prazo para parar de financiar projetos de petróleo e gás havia recuado um ano, alguns outros projetos prejudiciais ainda receberiam apoio até 2022 e a construção de estradas também continuaria. “Estamos decepcionados com as decisões dos governos europeus que adotaram este Roteiro Climático”, disse Xavier Sol, diretor da Counter Balance.

“Na prática, significa que o BEI não se tornará alinhado a Paris até o final de 2020. À luz da urgência climática, esta é uma oportunidade perdida.” Mesmo assim, os grupos saudaram o reconhecimento formal das mudanças climáticas como prioridade para o BEI e chamaram a medida para parar de financiar expansões aeroportuárias como um “passo a passo perceptível”.

Espera-se que o BEI faça outra pequena, mas significativa mudança, alinhando-se formalmente ao compromisso do acordo de Paris de limitar o aquecimento global a 1,5 graus Celsius acima dos níveis pré-industriais. “O COVID-19 não é a única crise em nossas mãos”, disse Hoyer.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.