Trabalhadores planejam greve no Porto de Santos caso não sejam vacinados contra Covid-19

Roberta Souza
por
-
12-05-2021 14:16:12
em Indústria Naval, Portos e Estaleiros
Porto de Santos – greve – Covid-19 Portos de Santos, no litoral de São Paulo/ Fonte: Portos e Navios

No Porto de Santos, trabalhadores anunciaram uma greve de 24h nesta semana, porém decidiram aguardar uma posição sobre a vacinação até o final de maio

Ontem (11/05), trabalhadores do maior porto da América Latina, o Porto de Santos, estavam planejando realizar uma greve de 24 horas ainda esta semana devido à falta de cronograma de vacinação contra a Covid-19, segundo um comunicado enviado ontem aos clientes pela Commodities/Unimar Shipping e visto pela Reuters. Contudo, os trabalhadores do Porto de Santos decidiram aguardar até o fim deste mês de maio para resolverem sobre a greve.

Decisão de greve no Porto de Santos, decorrente da vacinação contra Covid-19

Bruno José dos Santos, presidente do Sindicato dos Estivadores de Santos, São Vicente, Guarujá e Cubatão (Sindestiva), disse à Reuters, ontem, que caso os trabalhadores do Porto de Santos não sejam vacinados contra Covid-19 até o dia 1º de junho, será realizada outra reunião para decidir sobre uma paralisação nacional mais robusta.

Caso ocorresse a greve dos trabalhadores do Porto de Santos, a ação poderia afetar diretamente a atracação e desatracação de navios, além de operações de carga, disse a SA Commodities/Unimar Shipping. Havia a expectativa de que a decisão dos trabalhadores do porto sobre uma possível greve ocorresse ainda ontem, porém, o presidente do Sindestiva também havia confirmado a realização de uma reunião para definições do movimento.

Trabalhadores portuários estão no grupo prioritário para a imunização contra Covid-19

O governo federal classifica os trabalhadores portuários, como no Porto de Santos, como um grupo prioritário para a imunização contra a Covid-19, porém o prazo para que eles recebam as vacinas ainda não foi determinado. Segundo a nota da AS Commodities/Unimar Shipping, muitos dos terminais marítimos não seriam afetados pela greve, pois possuem algum tipo de operação privada.

Confira abaixo a nota da Unimar Agenciamento Marítimos

Veja ainda: Porto de Santos terá mais rigidez regulatória em sua privatização, diz Tarcísio Freitas

Quando comparada a outras privatizações do governo federal, a privatização do maior complexo portuário da América Latina, o Porto de Santos, terá maior rigidez regulatória e deve haver “maiores obstáculos” para os operadores portuários participarem das franquias. A informação foi do ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas. O evento está previsto para ser realizado em 2022 e envolve o maior complexo portuário da América Latina, o Porto de Santos.

Embora os ajustes regulatórios e de participação sejam ajustes específicos para cada porto, o ministro da Infraestrutura lembra que o modelo de privatização (como o Porto de Santos) geralmente deve acompanhar o resultado das vendas da empresa e permitir a operação do porto.

O ministro da infraestrutura, Tarcísio de Freitas, ainda comentou que os perfis dos participantes interessados nesses bens variam. Ele ainda ressalta que o consórcio, que pode ser polêmico no leilão, pode ser composto por fundos de investimento e operadoras portuárias, e essas empresas têm demonstrado grande interesse nessas privatizações que serão realizadas pelo governo federal.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos