Ministro da Infraestrutura diz que privatização do Porto de Santos terá mais rigidez regulatória

Roberta Souza
por
-
07-04-2021 14:53:58
em Economia, Negócios e Política
Porto de Santos, privatização, Infraestrutura Porto de Santos/ Fonte: Portos e Navios

Tarcísio de Freitas, atual ministro da Infraestrutura, afirma que terá rigidez regulatória e uma “maior trava” na participação de operadores portuários, na privatização do Porto de Santos 

Comparada com outras privatizações do governo, a privatização do Porto de Santos deverá ter maior rigidez regulatória e deve haver “maiores obstáculos” para os operadores portuários participarem das franquias. A informação foi do ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, nesta segunda-feira (5). O evento está previsto para ser realizado no próximo ano e envolve o maior complexo portuário da América Latina. 

Privatização do Porto de Santos 

Tarcísio diz que “No Porto de Santos tenho de ter uma rigidez maior regulatória e uma maior trava para participação dos operadores portuários na gestão portuária. Não é o que vai acontecer, por exemplo, com Itajaí”. 

Embora os ajustes regulatórios e de participação sejam ajustes específicos para cada porto, Freitas lembrou que o modelo de privatização geralmente deve acompanhar o resultado das vendas da empresa e permitir a operação do porto.  

O ministro da infraestrutura comentou ainda que as imagens dos participantes interessados nesses bens variam. O ministro disse que o consórcio que pode ser polêmico no leilão pode ser composto por operadoras portuárias e fundos de investimento, e essas empresas têm demonstrado “grande interesse” nessas privatizações.  

R$ 10 bilhões em novos investimentos é esperado em bateria de leilões de aeroportos, portos e ferrovia, nesta semana, pelo Governo Federal 

O Ministério da Infraestrutura vai realizar nesta semana, em quantidade de ativos, o maior leilão do país. Ao todo, serão um total de 28 leilões, divididos em 22 aeroportos, cinco terminais portuários e a Ferrovia Leste-Oeste (FIOL). O Governo Federal planeja arrecadar R$ 10 bilhões com o investimento privado e criar mais de 200 mil empregos.  

O resultado do leilão de 22 aeroportos pode representar um investimento de mais de 6,1 bilhões de reais. Os leilões serão realizados no dia 7 e envolverá um projeto de longo prazo com concessão de até 30 anos. Serão cinco arrendamentos de terminais portuários: quatro estão arrendados no porto de Itaqui (IQI03, IQI11, IQI12 e IQI13) no estado do Maranhão e o outro está arrendado no porto de Pelotas no Rio Grande do Sul (PEL01). 

Primeiro leilão da Fiol 1, realizado pelo governo federal, é da conexão Ferrovia Leste-Oeste entre Ilhéus e Caetité, na Bahia. A concessão, com 537 quilômetros de extensão deve garantir um investimento de 3,3 bilhões de reais, dos quais 1,6 bilhão de reais para a conclusão da obra. 

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos