Toyota vai parar fábrica de Sorocaba, em São Paulo, durante dez dias, por conta da falta de insumos que afeta a indústria automotiva

Roberta Souza
por
-
13-08-2021 15:05:57
em Indústria e Construção Civil
Toyota – fábrica – São Paulo Fábrica da Toyota/ Fonte: Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região

A Toyota anunciou na quarta-feira (11), que irá suspender por dez dias a produção na fábrica de Sorocaba, no interior do estado de São Paulo

A Toyota do Brasil anunciou nesta quarta-feira (11) a paralisação temporária da produção na fábrica de Sorocaba, São Paulo. A unidade de Porto Feliz (SP) também deve ser parcialmente afetada, segundo a assessoria de imprensa. Conforme divulgado, a paralisação ocorrerá por falta de insumos e a produção ficará suspensa entre os dias 18 e 27 de agosto. Veja ainda esta notícia: Toyota estuda possibilidade de retomar 3º turno em fábrica em Sorocaba, São Paulo. Cerca de 400 novos empregos devem ser gerados

Paralisação por falta de insumos

Na fábrica em Sorocaba, no interior do estado de São Paulo, são produzidos os modelos Yaris (hatch e sedã), Corolla Cross e Etios (somente para exportação). Já a unidade de Porto Feliz é responsável pela produção dos motores 1.3L e 1.5L do Yaris e Etios e do propulsor 2.0L TNGA do Corolla e Corolla Cross.

Em nota, a empresa informou que “apesar de todos os esforços realizados ao longo do tempo para gerenciar a falta de insumos que afeta a cadeia de suprimentos global, provocada pela pandemia de Covid-19, neste momento é inevitável a paralisação”.

Os colaboradores da fábrica no estado de São Paulo, afetados entrarão em férias coletivas neste período, com o retorno às atividades programado para o dia 30 de agosto. As demais unidades da Toyota no Brasil, localizadas em São Bernardo do Campo e Indaiatuba, continuam com atividades normalmente.

A fábrica da Toyota em São Paulo é considerada a mais limpa da marca no mundo

A Toyota do Brasil comemorou nesta terça-feira (10), o aniversário de 5 anos da fábrica de Porto Feliz, São Paulo, ressaltando como a fábrica é uma referência mundial em questão de sustentabilidade dentro do grupo. Sendo a única planta da Toyota na América Latina e Caribe a produzir motores para automóveis, a fábrica de Porto Feliz é considerada a mais limpa no mundo.

A fábrica segue o mesmo conceito Ecofactory utilizado na unidade de Sorocaba (SP). O princípio leva como base, reduzir todos os anos a emissão de resíduos poluentes gerados, como compostos orgânicos voláteis (VOCs) e emissões de CO2.

Além disso, o conceito também ressalta a reutilização de águas pluviais e a preservação da área de mata nativa. Desde que foi construída, a fábrica da Toyota em SP já desenvolveu cerca de 20 atividades ambientais, que incluíram a redução de 56% de resíduos, 42% na utilização de água no processo de produção e 32% na emissão de CO2 de acordo com a montadora.

Confira ainda esta notícia: Multinacional Toyota anuncia investimentos de R$ 1 bilhão e 800 novos empregos em São Paulo

A multinacional japonesa Toyota e a Prefeitura de Sorocaba, no estado de São Paulo, assinaram um protocolo de intenções, referente ao investimento de R$ 1 bilhão na fábrica da empresa no município, localizado no interior do estado. O investimento da fabricante de automóveis será destinado à modernização da linha de produção para o Corolla Cross, nova aposta da montadora. A estimativa da empresa e da prefeitura da cidade é que 800 novos empregos sejam criados, sendo 200 diretos e 600 indiretos.

A assinatura do protocolo de intenções aconteceu em uma cerimônia no Paço Municipal durante a manhã de sexta. A solenidade foi feita após uma reunião de representantes da Toyota, entre eles o presidente da companhia no Brasil, Rafael Chang, o prefeito Rodrigo Manga e secretários municipais de Sorocaba, em São Paulo.

Rafael Chang, presidente da Toyota no Brasil, afirma que a empresa estuda o plano de aportes no Brasil, porém ele evitou dar detalhes sobre os próximos passos da multinacional japonesa na cidade. Segundo Rafael, é um momento difícil devido à pandemia, mas visa o médio e longo prazo. O presidente da Toyota no Brasil ainda ressalta que acredita no potencial do mercado brasileiro, na possibilidade de exportação, e ainda cita que a conversa com o prefeito foi sobre a previsibilidade que esperam ter para o futuro, pois os investimentos são feitos para quatro a cinco anos.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe