Preço do etanol evapora nas usinas e distribuidoras fazem queima de estoques

Flavia Marinho
por
-
20-03-2021 17:19:21
em Usina e Agronegócio
etanol - preço - usina Usina de etanol / Fonte: Reprodução – Via Google

Com a semana toda do etanol hidratado em queda livre nas bases distribuidoras, o biocombustível fechou com preço negativo nas usinas

O preço diário do etanol nas distribuidoras derreteram a semana toda, acumulando 7,87% (R$ 2,657) na tabela negativa do mês, de acordo com dados do Cepea e o biocombutível fechou com preço negativo no balanço final de 15 a 19, nas usinas. Fique de olho, Ambev vai abrir 300 vagas de emprego em seu novo centro de logística que está sendo construído em Osasco – SP.

Leia também

Consumo do etanol sofre consequências com restrições mais rígidas de enfrentamento à pandemia. Além do que a safra do Centro-Sul começa oficialmente em 1º de abril, o que limita os negócios já que as distribuidoras ficam no compasso de espera de maior oferta do biocombustível.

Distribuidoras vieram queimando seus estoques nos últimos dias. De acordo com o Indicador Diário do Etanol, do Cepea, as empresas de Paulínia (SP) reduziram em 2,39% o litro na quinta, a R$ 2,733, seguindo recuos desde o dia 12. Dois deles também significativos.

A torcida agora do setor é para que venham notícias boas de fora, porque domesticamente os lockdowns ou semi-lockdowns vão bater com maior oferta chegando da safra do Centro-Sul. Mesmo que o freio de mão esteja puxado para o etanol e o pico da produção comece de maio em diante, ainda assim o volume disponível amortece os preços.

Em paralelo, o petróleo também apresentou recuos seguidos, aliviando riscos de aumento da gasolina. Perdeu o suporte de quase US$ 70, depois da queda livre, quando evaporou mais de 7% em Londres, por conta dos temores da demorada saída europeia de crise sanitária e estoques americanos.

Raízen do Grupo Shell, quer construir três usinas produtoras de etanol feito com bagaço e palha de cana

Raízen a gigante global produtora de etanol em conjunto com a Shell, pretende construir mais três usinas de etanol celulósico — ou de segunda geração. A boa notícia foi anunciada pelo empresário Rubens Ometto, da Cosan, na última segunda (15/03) 

A tecnologia para a produção de etanol celulósico surgiu a partir de uma parceria entre a Shell e a canadense logen, especializada em biotecnologia. Na safra passada (2019/20), a unidade de Piracicaba produziu 226 litros de etanol para cada tonelada de biomassa seca.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.