Início Preço do etanol despenca no Sudeste, em contrapartida, mesmo em ‘estabilidade’, o preço da gasolina dispara e média da região atinge quase R$ 7,00

Preço do etanol despenca no Sudeste, em contrapartida, mesmo em ‘estabilidade’, o preço da gasolina dispara e média da região atinge quase R$ 7,00

24 de fevereiro de 2022 às 09:58
Compartilhe
Siga-nos no Google News
gasolina - etanol - diesel - gnv- preço - dólar - combustível - petróleo
Fila em posto de gasolina Petrobras

Preço do etanol no Sudeste tem maior recuo do país, mas gasolina inicia o mês dando um susto no bolso do consumidor e registra o maior preço médio da região, aponta Ticket Log

Média de preços da gasolina no Sudeste atinge R$ 6,952 e não dá alivio ao bolso do consumidor. Em São Paulo, etanol despenca nas bombas e registra baixa de 5,04%, a maior variação de queda de todo o território nacional; Estado também registrou menor preço médio (R$ 4,693).

Leia também

De acordo com último levantamento do Índice de Preços Ticket Log (IPTL), referente à primeira quinzena de fevereiro, a região Sudeste apresentou a maior queda de preços de todo o território nacional para o etanol.

O litro do combustível registrou baixa de 2,79% e passou a custar R$ 5,501 em fevereiro, segundo menor preço médio do Brasil, atrás apenas do Centro-Oeste. Mas nem tudo são flores, e, mesmo em estabilidade com a baixa de 0,03%, o preço da gasolina da região fechou a R$ 6,952, novamente o maior preço médio do país.

Trabalhe no Setor Eólico do Brasil

Mês passado, o Rio de Janeiro apresentou o maior preço médio para a gasolina em todo o território nacional, com valores que chegaram a R$ 7,257, além de liderar no Sudeste com o maior preço do etanol

Ainda sobre a análise nacional, São Paulo se destacou no período com a menor média para o etanol e também com o maior recuo no preço do combustível (5,04%), passando de R$ 4,942 para R$ 4,693. No comparativo entre os quatro Estados do Sudeste, São Paulo fechou os primeiros dias de fevereiro com as menores médias para os demais combustíveis. O litro da gasolina no Estado baixou 0,06% e passou de R$ 6,428 em janeiro para R$ 6,424 em fevereiro. Já o diesel comum aumentou 1,84% e, o S-10, 1,49%, e fecharam o período com médias de R$ 5,585 e R$ 5,668, respectivamente.

Assim como no mês passado, o Rio de Janeiro apresentou o maior preço médio para a gasolina em todo o território nacional, com valores que chegaram a até R$ 7,257, uma baixa de 0,23%. Além de fechar com o maior preço médio para gasolina no recorte nacional, o Rio de Janeiro também liderou as maiores médias no Sudeste para a gasolina e o etanol. Com baixa de 2,07%, o etanol nos postos fluminenses fechou a R$ 6,098.

Minas Gerais se destacou no levantamento com as maiores médias para o litro do diesel comum, que fechou a R$ 5,759, aumento de 1,46% em relação a janeiro; e para o S-10, que fechou a R$ 5,841, alta de 1,85%.

Espírito Santo foi destaque no IPTL de fevereiro com as maiores altas da região para o diesel. O preço do litro do diesel comum atingiu R$ 5,663!

O Espírito Santo foi destaque no IPTL de fevereiro com as maiores altas da região para o diesel. O preço do litro do diesel comum subiu 2,41% e passou de 5,530 para R$ 5,663; e o S-10 apresentou alta de 2,04%, passando de R$ 5,629 para R$ 5,744. As bombas capixabas foram as únicas da região que registraram alta no valor da gasolina, de 0,23%. O combustível passou de R$ 6,958, em janeiro, para R$ 6,974, em fevereiro.  

“Seguindo tendência nacional, o aumento no valor do diesel também foi identificado nas bombas de abastecimento do Sudeste, com altas que chegaram a mais de 1,46%. Já podemos ver o reflexo nas bombas da região da medida que autorizou, no final do ano passado, a venda direta de etanol hidratado para os postos. De acordo com a relação 70/30, o etanol é a opção mais econômica para abastecimento em São Paulo e Minas Gerais. Já a gasolina é mais vantajosa para os motoristas do Rio de Janeiro e Espírito Santo. No fechamento de janeiro, o etanol se apresentava como uma opção mais favorável para toda a região, de acordo com o Índice de Preços Ticket Log”, aponta Douglas Pina, Head de Mercado Urbano da Edenred Brasil.

O IPTL é um índice de preços de combustíveis levantado com base nos abastecimentos realizados nos 21 mil postos credenciados da Ticket Log, que tem grande confiabilidade, por causa da quantidade de veículos administrados pela marca: 1 milhão ao todo, com uma média de oito transações por segundo. A Ticket Log, marca de gestão de frotas e soluções de mobilidade da Edenred Brasil, conta com mais de 30 anos de experiência e se adapta às necessidades dos clientes, oferecendo soluções modernas e inovadoras, a fim de simplificar os processos diários.

Relacionados
Mais recentes