Petroleira Premier Oil vai contratar sonda offshore para perfurar no Ceará

Premier vai perfurar no Ceará

Equipamento irá operar no no bloco CE-M-717, na Bacia do Ceará, e a Premier também irá licitar berços de atracação para navios de apoio offshore

A Premier Oil confirmou hoje (17/07), a procura de uma sonda offshore para uma campanha em seu campo de de Berimbau/Maraca, no bloco CE-M-717, na Bacia do Ceará.
O comunicado foi feito pela empresa, que já havia lançado uma RFI (Request For Information) ao mercado para saber as condições das empresas em relação a disponibilidade deste tipo de equipamento no país.

O RFI

No RFI também constava a consulta para a contratação de berços de atracação para navios de apoio em Fortaleza, no Ceará. A campanha de perfuração no Ceará, segundo a Premier Oil, começará em 2020.
A primeira campanha do bloco está estimada para se encerrar em julho de 2021.

A Premier Oil plc é uma empresa petrolífera independente do Reino Unido com interesses em petróleo e gás no Reino Unido, Ásia, África e México.

A empresa adquiriu o bloco CE-M-717 (área aproximada é de 500 km²) na 11ª rodada de licitações da ANP, em 2013 e é dono de 50% do ativo e tem como sócia a espanhola Cepsa Óleo e Gás do Brasil, que está endo comprada pelo grupo Matador Bidco S.À.R.L., formado pelo fundo de private-equity Carlyle Group.

Este não é o único projeto da Premier Oil no Ceará. Em 2016 a petroleira já havia adquirido dados sísmicos 3D nos blocos CE-M-717 e CE-M-661.

Oportunidades oficiais atualizadas pela Seadrill para profissionais que desejam participar dos projetos no Rio de Janeiro, todos os cargos listados são para à modalidade offshore.

Aker Solutions atualiza suas vagas de emprego onshore, nesta quarta-feira 17 de julho, e inicia a busca por profissionais para atuar nas cidade de Macaé e Rio das Ostras.

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki)