Petrobras vende a Liquigás por 3,7 bilhões de reais

Petrobras Liquigas

A oferta de R$ 3,7 bilhões feita pelo consórcio foi a melhor oferecida e a transação ainda será submetida à aprovação pelos órgãos competentes da própria da Petrobras.

A Petrobras afirmou na manhã desta quinta-feira,  7 de novembro, a venda da totalidade de sua participação na Liquigás ao consórcio formado por Copagaz, Itaúsa e Nacional Gas Butano. A empresa anunciou a venda da subsidiária de distribuição de botijões de gás Liquigás em julho

De acordo com a estatal, a oferta de R$ 3,7 bilhões feita pelo consórcio foi a melhor oferecida e a transação ainda será submetida à aprovação pelos órgãos competentes da própria da Petrobras.

“A transação ainda será submetida à aprovação pelos órgãos competentes da Petrobras e as etapas subsequentes do projeto serão divulgadas ao mercado tempestivamente. Essa operação está alinhada à otimização do portfólio e à melhoria de alocação do capital da companhia, visando à geração de valor para os nossos acionistas”, apontou a companhia em comunicado.

Em agosto a estatal havia recebido apenas duas ofertas pela distribuidora de GLPLiquigás, os investidores teriam sido afugentados por mudanças na distribuição de GLP anunciadas pelo governo e pela Petrobras, como o fim da exclusividade de marcas.

A Petrobras chegou a vender a Liquigás no fim de 2016 para a Ultrapar por R$ 2,8 bilhões, mas o negócio foi bloqueado pelo Cade. A Liquigás atua no envasamento, distribuição e comercialização de GLP no Brasil por meio dos segmentos de negócios engarrafados e a granel.

Roberto Castello Branco destacou em julho os desinvestimentos já realizados pela Petrobras, afirmando que a empresa acumula no ano 15 bilhões de dólares em vendas de ativos, e prometeu que há “muito mais” por vir.

“Temos um amplo programa de desinvestimentos… Outros farão melhor que a Petrobras. Nós faremos nosso trabalho muito bem na exploração e produção de petróleo e gás.”

Flavia Marinho

About Flavia Marinho

Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e experiente na indústria de construção naval. OBS: Não contratamos, então não envie currículos! Informações sobre empregabilidade apenas no site.