Mega leilão do Petróleo rendeu à estados e municípios apenas a metade do esperado

Petróleo da cessão onerosa

Ao arrecadar R$ 69,96 bilhões, do total possível de R$ 106,5 bilhões, petróleo da cessão onerosa rendeu menos que o esperado

Não que o Leilão de petróleo excedente da cessão onerosa, realizado hoje (06/11) pela ANP, tenha sido um fracasso, afinal de contas o valor arrecadado é recorde em leilões. Petrobras e chineses arrematam duas áreas no megaleilão dos excedentes do pré-sal !
Como foram arrematadas somente duas das quatro áreas ofertadas o valor alcançado foi de R$ 69,96 bilhões, do total esperado de R$ 106,5 bilhões.

O não alcance ao valor esperado deveu-se a falta de propostas para os campos de Atapu e Sépia que não receberam ofertas no leilão, isto significa que os estados e municípios que contavam com R$ 22 bilhões, ainda este ano, terão que se contentar com R$ 11,7 bilhões.

O leilão do petróleo de hoje terminou com a Petrobras (90%) em sociedade com os chineses da CNODC e CNOOSC (5% cada) arrematando o maior bloco do leilão, Búzios e o bloco de Itapu sendo adquirido em sua totalidade pela Petrobras.

A divisão dos valores

Dos R$ 69,96 bilhões arrecadados já estava acertado que a Petrobras receberia R$ 34,6 bilhões á título de compensação pela revisão do contrato que rege a cessão onerosa.
assim, a Petrobras receberá este valor e completará com ele o valor R$ 63,14 bilhões a ser pago pelos campos de Búzios e Itapu. A CNOOC e CNODC pagam os R$ 6,82 restantes por terem adquirido 10% do campo de Búzios.

Depois do pagamento á Petrobras, 30% do que sobrar será dividido entre estados e municípios, conforme critério aprovado pela Câmara dos Deputados e pelo Senado.
Ficou acertado também com o legislativo que 3% do bônus de assinatura arrecado no leilão iria para o estado do Rio de Janeiro, que receberá então R$ 1,1 bilhão pelas áreas que foram contratadas hoje.

Segundo o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, as áreas não arrematadas no megaleilão da cessão onerosa deverão ser relicitadas no primeiro semestre de 2020.

Segundo o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB/PE), o resultado deve ser comemorado, “As áreas que não foram arrematadas serão colocadas em licitação no primeiro semestre do próximo ano, o que significa que os estados e municípios não ficarão sem os recursos”, declarou.

Leia também ! No Rio, trabalhadores do Porto do Açu protestam contra demissão em massa !

Renato Oliveira

About Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki)