Petrobras revisa o projeto e pode cancelar o FPSO de Itapu

Flavia Marinho
por
-
13-07-2020 15:00:36
em Petróleo, Óleo e Gás
Petrobras revisa o projeto e pode cancelar o FPSO de Itapu A structure of the Brazil’s Petrobras P-66 oil rig in the offshore Santos basin is seen in Rio de Janeiro, Brazil September 5, 2018. Picture taken September 5. REUTERS/Pilar Olivares

A licitação para o afretamento do FPSO de Itapu pode estar com os dias contados. A Petrobras informou que o futuro do projeto será definido até 31/08.

Devido ao novo cenário de preço do barril do petróleo, a Petrobras adiou por 42 dias a data de entrega de propostas de licitação para o afretamento do FPSO de Itapu (cessão onerosa) para o dia 31 de agosto. Eneva inicia segunda fase de obras para projeto integrado do Campo de Azulão e Usina Termelétrica Jaguatirica II

Leia também

A data de entrega das propostas para o afretamento do FPSO de Itapu estava marcada para o dia 27 deste mês. A licitação para o afretamento da unidade foi lançada no segundo semestre do ano passado.

No comunicado aos participantes, a Petrobras informou que o futuro do projeto será definido até essa data, e que, informará posteriormente sobre a continuidade – ou não – da contratação do navio-plataforma afretado.

“A comissão de Licitação informa que a data fim de apresentação de propostas do presente processo de contratação será postergado em 42 dias (31 de agosto ) devido à necessidade de reavaliação do projeto de Itapu em função do cenário atual do mercado de Óleo e Gás. Até o término desse período, a comissão de licitação , em novo comunicado, informará sobre a continuidade ou não do processo de contratação do FPSO afretado”.

O informe sobre o adiamento do prazo de entrega de propostas e a possível mudança de estratégia em relação à licitação do FPSO, gerou tensão nas operadoras de plataformas interessadas no contrato de Itapu.

Empresas de FPSOs alegam que o custo de elaboração de propostas para o afretamento de uma unidade do porte de Itapu gira em torno de US$ 3 milhões, além de mobilizar um grupo grande de funcionários.

Sobre o afretamento Petrobras do FPSO de Itapu P-71

O FPSO P-71 teria capacidade para produzir 120 mil bopd e comprimir 3 milhões de m³/d de gás. O contrato de afretamento tem prazo de 21 anos, e a exigência de conteúdo local mínimo para a conversão está estipulada em 25%.

O destino do FPSO P-71– cujo topside passa por obras de integração no estaleiro, estava em aberto, entre Lula FR e Itapu, embora o atual plano de negócios da Petrobras, a estatal já teria optando por sua alocação em Itapu. O início de operação da unidade está programado para 2022.

Alocar a P-71 para Itapu vai retardar em sete meses o primeiro óleo do FPSO além de reduzir em US$ 173,2 milhões, do Valor Presente Líquido (VPL) previsto para o empreendimento.

No plano estratégico vigente (2020-2024), a P-71 está alocada no Projeto Lula FR e que a unidade é um ativo pertencente ao consórcio formado pelas empresas Petrobras, Shell e Petrogal.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.
fwefwefwefwefwe