Petrobras recebe proposta de mais de US$ 1,5 bilhão por ativos onshore do Polo Bahia Terra

Petrobras – onshore – Bahia Exploração de petróleo onshore/ Fonte: epbr

Um consórcio liderado pela Aguila Energia apresentou a melhor proposta para a área de exploração onshore, Polo Bahia Terra, da Petrobras

A Petrobras informou nesta quinta-feira (14/10), que recebeu ofertas vinculantes de potenciais interessados na aquisição dos campos de produção terrestres (onshore), localizados na Bacia do Recôncavo e Tucano, no estado da Bahia, denominados conjuntamente de Polo Bahia Terra. Um consórcio liderado pela Aguila Energia, apresentou a melhor proposta para o Polo Bahia Terra da Petrobras, em valor superior a US$ 1,5 bilhão de dólares. Leia ainda esta notícia: Por US$ 300 milhões, Petrobras realiza venda de sua participação em campos onshore e de águas rasas à Petro+, no estado de Alagoas

Ofertas sobre o campo onshore, no estado da Bahia

O consórcio formado pela Aguila Energia e Participações Ltda e pela Infra Construtora e Serviços Ltda apresentou a melhor proposta, em valor superior a US$ 1,5 bilhão, tendo a diretoria Executiva da Petrobras aprovado o início da fase de negociação.

Em comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a Petrobras esclarece que a celebração da transação dependerá do resultado das negociações, bem como das aprovações corporativas necessárias. “A Petrobras reforça o seu compromisso com a ampla transparência de seus projetos de desinvestimento e de gestão de seu portfólio, e informa que as etapas subsequentes do projeto serão divulgadas tempestivamente”, diz.

Sobre o polo onshore da Petrobras

O Polo Bahia Terra abrange 28 concessões de produção terrestres (onshore), localizadas em diferentes municípios do estado. O processo de desinvestimento da Petrobras inclui ainda estações coletoras e de tratamento, parques de estocagem e movimentação de petróleo, gasodutos e oleodutos, além da UPGN Catu e outras infraestruturas associadas ao processo produtivo.

O petróleo produzido no campo onshore é de grande interesse comercial para a RLAM (Refinaria Landulpho Alves), vendida recentemente para o Fundo Mubadala, pois compõe a parcela de “Baiano Mistura” na carga da refinaria.

Confira ainda esta notícia: Petrobras inicia processo de venda de campo onshore na Bacia de Potiguar, no Rio Grande do Norte

A Petrobras divulgou uma nota, informando que em continuidade ao comunicado divulgado em 09 de julho de 2021, a estatal começou o início da fase vinculante referente à venda, em conjunto com a Sonangol Hidrocarbonetos Brasil, da totalidade da participação de ambas as empresas no bloco exploratório terrestre (onshore) POT-T-794, pertencente à concessão BT-POT-55A, localizada na Bacia Potiguar, no estado do Rio Grande do Norte.

Os potenciais compradores habilitados para essa fase receberão carta-convite com instruções sobre o processo de desinvestimento, incluindo orientações para a realização de ¨due diligence¨ e para o envio das propostas vinculantes. A presente divulgação está de acordo com as normas internas da Petrobras e com as disposições do procedimento especial de cessão de direitos de exploração, desenvolvimento e produção de petróleo, gás natural e outros hidrocarbonetos fluidos, previsto no Decreto 9.355/2018.

A concessão do campo onshore, na Bacia de Potiguar, foi adquirida no ano de 2006, durante a 7ª Rodada de Licitações de Blocos realizada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A Petrobras detém 70% de participação do campo onshore, no estado do Rio Grande do Norte e a Sonangol, operadora da concessão, detém os demais 30% de participação. O consórcio entre a Petrobras e a Sonangol, perfurou dois poços no campo onshore, sendo um, descobridor de gás.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe