Petrobras: 45 mil trabalhadores correm risco de perder o emprego

Flavia Marinho
por
-
12-05-2020 16:20:29
em Petróleo, Óleo e Gás
Petrobras: 45 mil trabalhadores correm risco de perder o emprego Petrobras: 45 mil trabalhadores correm risco de perder o emprego

Corte de gastos da Petrobras devido a crise do petróleo pelo coronavírus, pode gerar demissão em massa no setor de óleo e gás

Contratos da Petrobras com grandes, médias e pequenas empresas no setor de óleo e gás foram atingidos pelo corte de gastos que a estatal adotou, como pedida para enfrentar a crise do petróleo gerada pelo coronavírus. Arábia Saudita cortará produção de petróleo em mais 1 milhão barris por dia

Leia também

Cerca de 45 mil trabalhadores do setor de óleo e gás que prestam serviços para a estatal, correm o risco de perder o emprego. Devido a crise, a Petrobras pretende rever seus contratos que somam 6 bilhões de reais com 300 empresas terceirizadas.

O número pode aumentar para 50 mil se forem levados em conta o emprego dos trabalhadores que atuam em projetos novos, como as obras do Comperj, em Itaboraí, na Região Metropolitana do Rio.

Devido a crise a Petrobras já reduziu a produção de petróleo em 200 mil barris por dia, paralisou plataformas e campos terrestres, adiou investimentos e reduziu a menos de 60 por cento a operação de refinarias em todo o país.

“Até o momento a Petrobras apenas formalizou para cada contratada que a pandemia é um caso fortuito de força maior, e que estes impactos financeiros deverão ser suportados por cada uma das partes. As empresas não sabem o que fazer. Corremos o risco iminente de uma demissão em massa”, diz Eduardo Aragon, diretor da BrainMarket.

“Nenhum órgão público sinalizou com alguma ajuda ao setor, que está buscando diálogo com a Petrobras. As demissões já começaram. Cada empresa está demitindo naqueles contratos que acha que não vão ser renovados. Essa insegurança é o que mata os empresários”, conclui o executivo.

Negociação entre a Petrobras e Terceirizadas

Em nota, a estatal afirmou que “dada a complexidade e a diversidade dos contratos de bens e serviços, qualquer impacto destas condições nos termos contratuais está sendo tratado individualmente com cada empresa”.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.
fwefwefwefwefwe