Navio sonda Laguna Star da Constellation retoma operações com a Petrobras

navio sonda aguna Star Constellation Petrobras

Em breve, as submersíveis Gold Star, Lone Star e Alpha Star também se juntarão ao Laguna Star na frota de unidades que prestarão serviços à Petrobras

Constellation acaba de anunciar, que seu navio sonda Laguna Star iniciou suas operações para a Petrobras. O anúncio foi feito por meio do veículo oficial de notícias da companhia, nesta tarde de terça-feira, 5 de novembro. Brasil atrai 93% da renda global de rodadas de petróleo.

O início das operações do navio sonda Laguna Star estava previsto para meados de outubro e de acordo com a Bassoe Analytics, a diária do contrato é de cerca de US $ 155.000.

O navio-sonda de 6ª geração foi projetado para operar em águas com profundidades de até 10.000 pés, típicas do pré-sal, com uma capacidade de profundidade de perfuração de até 40.000 pés e será implantado no bloco BM-S-11 da Petrobras na Bacia de Santos.

A sonda estava em contrato com a Enauta – anteriormente conhecida como QGEP – no campo de Atlanta, também na bacia de Santos.

“É com grande satisfação que anunciamos que o nosso navio sonda Laguna Star iniciou suas operações para a Petrobras. Esse momento marca a retomada de nossas operações para uma das maiores operadoras em águas ultra profundas do mundo.” disse a empresa em comunicado oficial.

A empresa informou estar muito felizes em contribuir, mais uma vez, com a Petrobras, um parceiro de tantos anos e que deseja a todos um bom e seguro retorno de operações no Laguna Star.

“Em breve, nossas semi submersíveis Gold Star, Lone Star e Alpha Star também se juntarão ao Laguna Star na frota de unidades que prestarão serviços para esse tão importante cliente,”  concluiu a empresa que em outubro anunciou a reativação da Sonda Gold Star para atender contratos com a Petrobras previstos para início do ano que vem.

Constellation inicia perfuração de poços terrestres no Amazonas

No estado do Amazonas, a Sonda VIII da Constellation começou a operar o seu contrato com a Eneva para a perfuração de poços no Campo de Azulão, informou a empresa,  17 de outubro deste ano.

A expectativa é que sejam gerados 1.000 empregos em Roraima e mais 1.000 empregos no Amazonas nesta primeira fase do empreendimento.

Flavia Marinho

About Flavia Marinho

Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e experiente na indústria de construção naval. OBS: Não contratamos, então não envie currículos! Informações sobre empregabilidade apenas no site.