Navio à deriva ameaça afundar e pode derramar ate 400 mil litros de combustível em alto mar

Valdemar Medeiros
por
-
07-04-2021 10:53:56
em Indústria Naval, Portos e Estaleiros
Navio - Alto mar - combustível Navio holandês em alto mar – Imagens: Megacurioso

Navio holandês está à deriva, cerca de 70 km da costa do Mar Norte, e tem chances de derramar combustível em alto mar

Após o um navio ter encalhado no Canal de Suez no dia 23 de março, outro ocorrência em alto mar ocorreu e pode derramar muitos litros de combustível. Desta vez a situação envolve um cargueiro holandês, o navio Eemslift Hendrika, que está flutuando em alto mar, com motor quebrado e sem tripulação, em direção à costa da Noruega nesta terça-feira (6).

Leia também

Entenda como o navio holandês está naufragando em alto mar

Resgate de tripulantes do navio Hendrila

Após uma forte tempestade ter deslocado parte de sua carga por volta do meio-dia, o navio sofreu uma forte inclinação ontem (06). 12 membros da tripulação foram salvos por serviços de resgate após lançarem um pedido de socorro. Oito dos tripulantes do navio, à deriva em alto mar, foram resgatados por helicóptero e os quatro restantes foram obrigados a se jogar em alto mar, com um deles ferido.

Todos ficaram seguros, porém o navio continuou flutuando e está por volta de 70km da costa do Mar Norte. O Navio corre risco de naufragar e derramar uma carga de combustível no oceano. O navio perdeu potência do motor principal à noite e está à sem tripulação e flutuando em direção a terra segundo o porta-voz da Administração Costeira da Noruega, Hans Petter.

Sobre o navio e o perigo da poluição por combustível

O Hendrika, possui cerca de 350 toneladas de combustível, e 50 toneladas de diesel em seus tanques. A empresa, Smit Salvage, Subsidiária da empresa holandesa Boskalis, já está a caminho para evitar a poluição do combustível. Martijin Schuttevaer, porta vós da empresa explicou que o objetivo é rebocar o navio para um lugar mais calmo para que ele não derrame o combustível.

Para que isso ocorra, se fosse permitido pelas condições de segurança, a empresa teria que colocar uma tripulação a bordo do navio, conectando ele a um tipo de rebocador chamado de “manuseio de âncoras”, um poderoso navio construído com o objetivo de mover plataformas de petróleo.

Tags:
Valdemar Medeiros
Formado em Segurança do trabalho, especialista em marketing de conteúdo em conjunto de ações de SEO e Universitário de Publicidade e Propaganda.