Multinacionais GranIHC, Ocyan e a Sisnergy faturam megacontrato bilionário da Petrobras que vai mobilizar 2000 trabalhadores para serviços de construção e montagem de 19 plataformas da Bacia de Campos

Flavia Marinho
por
-
02-12-2021 10:48:31
em Petróleo, Óleo e Gás
contrato - licitação - petrobras - emprego - granihc - ocyan - bacia de campos - plataformas - trabalhadores Trabalhadores em DDS em plafaforma de petróleo offshore

Retomada do setor naval e óleo e gás no Brasil: GranIHC, Ocyan e Sisnergy vencem megalicitação da Petrobras de quase R$ 2 bilhões para serviços de manutenção e integridade de 19 plataformas da Bacia de Campos

As multinacionais do petróleo GranIHC, Ocyan e a Sisnergy fecharão contratos nessa semana com a gigante Petrobras para contratação dos serviços de manutenção e integridade de 19 plataformas da Bacia de Campos. Megalicitação promete mobilizar cerca de 2000 trabalhadores do setor de óleo e gás!

Leia também

A previsão de início da execução dos serviços está prevista para dezembro. O negócio é fruto da megalicitação da estatal petroleira Petrobras, desmembrada em quatro lotes, cujo valor total soma R$ 1,97 bilhão.

Petrobras já aprovou internamente a contratação da GranIHC, Ocyan e a Sisnergy

A Petrobras já aprovou internamente a contratação das três empresas. A francesa Sisnergy, arrematará o contrato do lote 3.

A GranIHC ficará responsável por dois contratos, assegurando os lotes 1 e 4, os maiores da licitação, enquanto a Ocyan levará o pacote 2 após uma reviravolta marcada pela desclassificação de outros dois participantes. O dois pacotes da GranIHC responderão por 60% do valor total do negócio da Petrobras, com a cifra de R$ 1,2 bilhão.

O contrato do lote 1 será firmado por R$ 621,26 milhões e será direcionado às plataformas de petróleo P-18, P-19, P20, P-35, P-43, P-47, P-48, P-61 e P-63. Já no lote 4, o montante é de R$ 579,25 milhões, e o escopo será aberto, sem pré-fixar nenhuma unidade.

No caso da GranIHC, futuramente, parte do escopo do lote 1 será desdobrado para a 3R Petroleum, já que as plataformas P-61 e P-63 estão localizadas no campo de Papa-Terra, ativo que já foi vendido para a petroleira de médio porte.

Já o contrato da Sisnergy será fechado por R$ 592,25 milhões. Direcionado ao lote 3, o serviço contemplará atividades na P-38, P-40, P-51, P-53 e P-56.

O contrato do lote 2 com Ocyan será assinado por R$ 184,72 milhões. O trabalho contemplará serviços nas unidades P-9, P-26, P-32, P-33 e P-37.

A vitória da Ocyan no lote 2 foi assegurada após a Petrobras não habilitar a Múltiplos Estaleiros do Brasil e a Petrojato Manutenção, empresas que apresentaram os dois melhores lances.

A GranIHC teve também a terceira melhor oferta do leilão, mas acabou desclassificada pelas regas do edital, que permitia que cada empresa arrematasse no máximo dois lotes.

Os contratos terão prazo de três anos e promete mobilizar cerca de 2 mil trabalhadores

Os contratos de serviços de manutenção corrente, parada de produção, apoio à operação e outros serviços, terão prazo de três anos, com possibilidade de prorrogação por mais dois anos.

O prazo de mobilização será de 90 dias, a contar da data de assinatura dos contratos. A estimativa é que os quatro negócios mobilizem cerca de 2 mil trabalhadores, operando com dedicação exclusiva.

A licitação foi realizada sob o modelo de leilão reverso, atraindo grande número de empresas. Entre os grupos que participaram estavam a Ocyan, Heftos, CRS, Múltiplos Estaleiros, Mota-Gil, WM Manutenção e Reparos, Método Engenharia, AAS Júnior e Engeman.

As unidades envolvidas nos quatro contratos estão instaladas nos campos de Marlim Sul, Marlim Leste, Marlim, Viola, Barracuda-Caratinga, Papa-Terra e Corvina.

por – Brasil Energia

Sites Parceiros

Publicidade




Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.