Mineradora Vale inaugura nova fábrica em Itabirito, Minas Gerais, operada apenas por mulheres

Roberta Souza
por
-
27-11-2020 15:01:13
em Economia, Negócios e Política
Vale, mineradora, Minas Gerais Trabalhadora da mineradora Vale

A nova fábrica da Vale, faz produtos para a construção civil através dos rejeitos da mineradora. A atividade é uma parceria com o CEFET de Minas Gerais

A mineradora Vale inaugurou sua primeira planta de reaproveitamento de rejeitos em Itabirito, Estado de Minas Gerais. A atividade da nova fábrica é produzir produtos para o setor da construção civil através dos rejeitos da mineração. A nova planta fica na Mina do Pico, e com isso, irá circular a economia do município. As operações são feitas totalmente por mulheres.

Veja ainda outras notícias do dia:

A nova fábrica passou por um período de testes e estima-se que cerca de 30.000 toneladas de rejeitos serão tratados na forma de barragens ou pilhas a cada ano, e serão convertidos em 3,8 milhões de produtos pré-moldados amplamente utilizados na construção civil, como pisos, blocos estruturais de concreto, blocos de vedação, lajes de concreto, manilhas, blocos de vedação, entre mais produtos.

Rodrigo Dutra, gerente-executivo de Licenciamento Ambiental da Vale, diz que “Além de tornar nossas operações mais seguras e sustentáveis, queremos fomentar o desenvolvimento de soluções inovadoras que gerem valor para as comunidades vizinhas e a sociedade”.

Desde 2014, a Vale desenvolve pesquisas sobre aplicação de rejeitos. É também uma solução ecologicamente correta para substituir o uso de areia natural em construções civis. Rodrigo conclui “O rejeito arenoso da Vale, resultante do beneficiamento do minério, possui elevado teor de sílica e baixíssimo teor de ferro, tendo ainda como vantagem a alta uniformidade química e granulométrica”.

Cerca de 25 milhões de reais serão investidos nos dois primeiros anos da fábrica de blocos do Pico, para pesquisa e desenvolvimento tecnológico (P&D), que contará com o Centro Federal de Educação Técnica de Minas Gerais (CEFET-MG) Cooperação técnica.

Serão 8 mulheres responsáveis por todo o processo da fábrica. Morada do município, Ana Luiza Marinho, contratada para atuar na nova fábrica da mineradora diz que é “Um privilégio ter sido escolhida para atuar como engenheira numa iniciativa que segue os princípios da economia circular, reaproveitando rejeitos como insumos e ainda ajuda a reduzir a extração de recursos naturais não renováveis. Acredito que o objetivo da fábrica de blocos, aliado ao time de mulheres, mostra como a empresa vem evoluindo, olhando para o futuro e cuidando das comunidades próximas às suas operações”.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos